9.11.12

Pedras nos sapatos! Que pachorra!

Sábado, 15h:
- Onde querem ir?
- Ao Parque! Ao Parqueeeeeeee!
- Haaaaaaaa… outra vez? Está frio…
- Parque, parque, parque!
Oh meus deuses! Oh Santa Mãezinha do Senhor! Oh someone in the sky! Pleaaaaaaase ! Dai-me paciência para o Parque! P.L.e.A.S.E!
As miúdas divertem-se, apanham ar puro, brincam! Tudo bem! É bonito, que é! É saudável, que é! É uma seca para mim, para quem ali fica só a ver, para baixo, para cima, palminhas à primeira descida, palminhas à milésima descida, fotografias no baloiço, fotografias no escorrega! Uma ternura! Okai! Um bocadinhuuu seca! É o que é!
Okai! Mas como aguentar os pés enterrados na gravilha? Finiiiinha, do tipo quase pó! A entranhar-se nos sapatos, sim, porque antes de sair de casa tenho sempre a esperança de não ir ao parque e não penso no calçado… estúpida! Ainda assim, mesmo que vá de ténis, aquelas putinhas daquelas pedrinhas entranham-se nas meias, nos sapatos, entranham-se de tal maneira, que acho que trepam por mim acima… Opá! Que pachorra! E a cor com que ficam os sapatos? Deuses!
Depois começa a latejar a anca esquerda, de tanto nos apoiarmos nas ancas para aguentar estar para ali de pé à espera, à espera, depois é a vez da anca direita… a bater palminhas à trigésima volta no carrocel, roda, roda, roda, zuing, zuing, zuing… Pachoooooooooorraaaaa!
As miúdas umas queridas, giras que só elas! Okai! Todos os miúdos no parque, uns queridos, giros que só eles! Amorosos, sobretudo quando correm, para lá e para cá, levantam o pó da gravilha… fininhaaaaaaaa! Aparece sempre um ou outro que se lembra de atirar mãos cheias de pedras para o escorrega! Às tantas já só me apetece ser uma bruxa: “Ouve lá miúdo, és tu que vais lá a casa coser as calças rasgadas das minhas filhas, ou lavá-las? És, puto?” Ou então estou a guinchar para as minhas crianças: “Não se atira pedras! Ai, ai, ai!
O parque é também um bom local para estudar comportamentos, pais do mais grunho que há, que adoram exibir feitos dos seus rebentos nem que para isso arrisquem uma ida ao hospital. Falo daqueles que empurram o baloiço com tanta força, que até me engasgo só de olhar e fico para ali numa aflição que a criança deste tipo de abestalhado voe em direcção ao chão tal a violência com que os empurram, na iminência de um looping, prefiro afastar-me!
E lá vou a enterrar os pés na gravilha, a sacudir-me de pedras e pedrinhas a bater palminhas, a gritar: “Não faças isso ao menino… não faças isso à menina… só festinhas! Cuidado, cuiiiiiiiiidaaaaaaado! Oh Gil! Ai que elas caiem, ai pá!”
Tenho pouco estômago para desportos radicais, por isso ir ao parque é também uma aflição! Qualquer mini escorrega me parece logo uma pista preta de qualquer montanha de desportos de inverno! Cuidaaaaaaaaaaado, miúdas! Ai pá!
E então que amanhã é sábado! Dia de parque! Dia de contar pedrinhas, uma , duas, três… Ai, ai! E também vai haver festinha de anos! Oh joy! Para quando miúdas bem comportadas em exposições? em Museus? Em cenas mais fixes para os pais e igualmente enriquecedoras para pequenas infantas?
Bom fim-de-semana, caros!

6 comentários:

  1. e com o bom tempo do s. martinho tou a ver mesmo que vais passar um tempinho no parque :) e nao te esqueças leva algo confortavel nos pés e uma garrafa de agua para hidratares :) com crianças nunca se sabe o tempo que se demora no parque. Podiam fazer um parque para adultos, isso sim era divertido. Afinal todos nós temos uma criança dentro de nós, mas andar de escorrega num parque para crianças pequenas nao dá... ficava com o rabo preso algures... mas um parque para adultos, olha que aquilo ia encher, mais que shopping ao fim de semana... desculpa ja me alarguei na conversa, desculpa meter o nariz onde ainda nao fui chamada

    ResponderEliminar
  2. Adorei este texto. São exactamente as palavras que sinto, mas que não conseguia deitar cá para fora. Aquilo parece mais o comboio da morte que um parque de diversões. Como é que uma mãe se pode divertir se é tudo de metal e é tudo tão alto e os miúdos se empurram tanto?
    O meu sincero agradecimento! Soube-me como um belo desabafo!

    ResponderEliminar
  3. fantástico!
    gostaria de te convidar a conheceres o meu cantinho e espero que seja do teu agrado!

    http://cottoncandy-peaches.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Peter Pan no politeama! Pelo menos gastou-se uma hora, quando se sai, já passa das 4 e 30, e assim já não há parque porque é tarde e está frio...

    ResponderEliminar
  5. Fantástico Julieta! Faço das tuas palavras as minhas... mas aqui ao pé de casa os parques são de a.r.e.i.a - um verdadeiro horror, uma tormenta, do além!!!!

    ResponderEliminar