28.6.13

Ainda (e sempre!) o Murphy…

Ontem, ao final do dia fomos ao Colombo com um objectivo. Comprar sandálias para as duas crianças.
Ontem ao final do dia as duas crianças estavam imundas, cheiravam a uma mistura de cão molhado com lápis de cera. Despenteadas, amarrotadas e absolutamente indicadas para um qualquer anúncio de tira nódoas, dignas do “antes” claro está!

As sandálias da Rosarinho, Birkenstock by the way, “derreteram” nos pés da infeliz da miúda, que ao descalça-las parecia ter uma espécie de sola castanha agarrada ao pé! Tem a sola do pé castanho-mostarda-estragada! Acho que nem daqui a uma semana aquilo vai sair! Até experimentei esfregar com pedra-pomes e nada! Ainda pensei em lixivia… que pensei… louca, mas não tanto!

Às sandálias da Mercês, Birkenstock by the way, e herdadas da irmã, saltou-lhes a fivela!

Portanto tínhamos duas miúdas, IMUNDAS e FEDORENTAS, BIRRENTAS DE CANSADAS, e uma missão que não podia ser adiada nem mais um dia!

H.O.R.R.O.R, L.O.U.C.U.R.A total, PIOR SÓ O METRO EM HORA DE PONTA COM ELEFANTES LÁ DENTRO!
Sabem aquela hora em que as crianças ficam sem bateria, o seu organismo recorre a um gerador interno e ficam tresloucadas e histéricas? Sabem? Digam-me que sim que é para eu não achar que estou S.O.Z.I.N.H.A no Universo! Ainda por cima não há um botão para desligá-las!

Foi  INSANO! Fugiram, fugiram, fugiram, e eu atrás aos gritos! Entraram em lojas e atacaram montras, entraram em lojas e mexeram em todos os cabides, entraram em lojas atrás de uma maldita bola cor-de-rosa aos gritos! E eu atrás aos gritos! Atiraram-se em voos picados para cima dos sofás do Colombo! Houve mesmo uma altura em que quando olhei a Mercês estava à traulitada com um balão a quem passava! ENFIEM-ME NUM BURACO, pensava eu! Ainda tive que a arrastar para fora da Parfois porque gritou uma dúzia de vezes a uma miúda estrangeira: “Comooooooooo teeeeeeee chaaaaaaaaaaamas?” Sem resposta começou a guinchar aqueles “ÓOOOOOOOOOOOoooooooomãiiiiiiiiiiiiiiii esta miúda não fala porquêeeeeee?

ENFIEM-ME NUM BURACO, a sério! A figura que eu faço aos gritos é digna de dó! Grito, rogo, imploro, ameaço, e é como se nada fosse! Ralam em mim e continuam a varrer tudo à frente!

UM DESATINO! T.O.T.A.L!

Pior foi quando, eu já esgotada, sem encontrar umas sandálias decentes para estes dois diabinhos, desatei a gritar com o Gil, porque ele estava a gritar com as crianças, e toda uma fila de gente que aguardava vez para pagar na PréNatal (AI a sério pá! Tinha que ser na Prénatal! Com grávidas e casais ainda enamorados, bebés cor de rosa e avós babados? TINHA! ****da-sssssssssse): “ Não grites assim com as miúdas! Pareces das caveeeeeeeeeeeeernas! Das CAVERNAAAAAAAAAAAS!” Toda uma fila a olhar para mim e eu a pirar-me dali de mansinho! Um B.U.R.A.C.O por favor!

Eram 22:00 quando chegámos a casa, ainda sem jantar e com banhos por tomar, mas vitoriosos com 2 pares de sandálias!

Eram 22:00 e o Murphy ainda estava atento aos nossos passos. Ó se estava! Ó se estava.

Subimos o elevador, descabelados, sujos, amarrotados, 2 crianças para anúncio de “tira nódoas” ou “OMO lava mais branco” e quem aparece? Quem é?

A VIZINHA TODA GIRA! Às 22:00 TOoooOOOOooooDA GIRA!

Eu a rezar para conseguirmos abrir a porta antes dela… e em segundos já estava todo um postal ilustrado a despedir-se de convidados igualmente giros e bem cheirosos e a acenar-nos!

- Olá boa noite! Olha as meninas, amor!

Um postalinho ilustrado directamente de uma caixa de chocolates suíços, Mamã Gira, Papá Amoroso e Bebé Nestlé! Aqueles fofíssimos a acenarem-nos da sua soleira e nós a grunhirmos uns “boa-noite” a muito custo… *****dassssssssssePá!

A Rosarinho ainda gritou: “Ó mãaiiiiiiiiiiiiiiiii que casa tão giiiiiiiiiiira que aqueles senhores têm!

Murphy, ó Murphyyyyyyyyyyyy! Já bazavas, puto! Já bazavas!

Não bazou, o velhaco ainda se riu de mim hoje de manhã e brindou-me com a doce companhia da vizinha dona do exaustor por cima do meu, AQUELA, a que ouve tudo, T.U.D.O!

Eu acho que se calhar está na altura de ir jogar o euromilhões e ser rica! Não concordam? Deixa-me lá ir então!

Bom fim-de-semana, giros e giras de meu coração!


27.6.13

Lixada com o Murphy.

Se eu estiver de trombas, com as piores calças que possuo, com a camisola que me faz parecer um balão, com 4 sacos de lixo do mais fedorento que há (quem me manda a mim ainda cortar cebolas, quem? Maldição!), com o cabelo assim a modos que desgovernado, branca de branca, tão branca que quase estou azul, a 3 terços do tempo para o buço crescer e ganhar o tamanho desejado para ser arrancado sem dó nem piedade, amarela azulada, porque me recuso a ir à praia desde que se me deu a pitiríase, com uns sapatos rasos que me aumentam o rabo 3 vezes e me acachapam uns bons 3cm (considerar que 3cm em qualquer metro e meio é muitíssimo, bué mesmo!) QUEREM APOSTAR que se eu entrar no elevador todo o universo vai conspirar contra mim e a vizinha do lado esquerdo vai aparecer? E que, apesar de todos os meus gestos acelerados para carregar no botão e as portas se fecharem deixando-a pendurada no patamar, ela vai mesmo conseguir entrar? Airosa e perfumada, magra de magra, alta de alta, e eu que, já acachapei mais outros 3cm, morderei o lábio e restar-me-á apenas a penosa descida aos infernos até ao R/c e ainda, PORQUE NUNCA FICAMOS SÓ POR ISTO… Não meus amigos! Nem teria graça se assim fosse, é que são barrigadas de riso! A boa da criatura, esbelta e espadaúda e comprida e magra de gira, ainda tem que ser educada e dizer um “passe, passe por favor” e todo o caminho do elevador até à porta da rua é feito ao som dos seus bonitos saltos altos e eu, à sua frente desejo ardentemente que um raio me fulmine ali mesmo? QUEREM APOSTAR? RAIOS MÉNES, RAIOS PRA ISTO!

(note to self: da próxima vez que comprar casa, farei uma prospecção de vizinhos!)

De onde é que saem estas mulheres, de onde? Fónix!

E, QUEREM APOSTAR, que se esta vossa amiga estiver a caminho de casa, vinda do ginásio, com passagem pelo supermercado no entretanto, no seu outfit muito próprio, com 5 sacos do supermercado, entrar no prédio, e for ver o correio e estiver com a cabeça lá enfiada a grunhir impropérios para os distribuidores de publicidade, totalmente descompensada, a dizer qualquer coisa entre “ai esta merda pá!” e “porra que filhos da mãe que me atafulham a caixa de merda” e ao tentar levantar-me me der a entrevadinha por causa do esforço no ginásio e ficar para ali a tentar endireitar-me, QUEREM APOSTAR, aparece a outra vizinha (QUE NESTE PRÉDIO O QUE NÃO FALTA SÃO BONS EXEMPLOS DESTA ESPÉCIE!) gira de gira, com um vestido esvoaçante, toda ela acabadinha de sair do banho, leve e perfumada? E que, valha-me a santa e o padroeiro, esta, ainda por cima, é simpática? A camela da mulher é simpática… raios pá, que as prefiro parvas, é mais fácil detestá-las… assim fico para ali com cara de marmelo a dizer “olá boa tarde… boa tarde… boa tarde…”

(note to self: eu vou correr tanto, mas tanto naquele maldito tapete, que a próxima grande compra pró ginásio será um top Jane Fonda!)

De onde é que saem estas mulheres, de onde? Fónix!

E nem vos vou falar outra vez da mãe boazuda do colégio, que agora está grávida, mas lá por isso não deixa o salto agulha e muito menos o vestido coleante em casa, não, não! E, sejamos justas, vendo bem está já mega grávida, alto barrigão, portanto deve estar na fase encalorada da gravidez, quase que nem me importo de me cruzar com ela e com o seu par de mamas desumano… não é inveja que também as tenho em grande, a diferença é que as dela estão estrategicamente colocadas a um angulo de 90graus em relação à barriga, assim espetadas, a ameaçar o salto vertiginoso para fora do decote. É toda uma cena… E pior, é impossível não olhar. IMPOSSÍVEL! Pior só encontrarmos a nossa chefe em topless na praia… nunca me aconteceu, nem tenho chefe, mas era de fugir! E claro que me cruzo com esta avantesma TODAS as manhãs, ou quase todas as manhãs sobretudo naquelas em que escolho um coordenado saco a fazer pendant como um apanhado molho de brócolos no alto do cocuruto!

(note to self: não olharei, não olharei, não olharei, não olharei não olharei, não olharei não olharei, não olharei não olharei, não olharei não olharei, não olharei para as mamas da senhora! Impossível… é o que vos digo… é toda uma cena!)

De onde é que saem estas mulheres, de onde? Fónix!

Agora imaginem isto tudo no mesmo dia! Dooooooooooose! DOSE!

É que eu não entendo onde arranjam tempo para estar impecáveis… onde? Gostava de saber, porque eu também queria dar o salto, o grito do Ipiranga e ser assim, gira de gira!

Hoje estou assim, fútil, fútil e lixada com o Murphy! Fónix! Vou masé por-me a cooooorrer! Fui gente, até amanhã!



26.6.13

Mão chapinha, dedo escova!

Caras amigas, isto interessar-vos-á.
Estou em fase de mudança capilar. Fartinha que estou de usar o ferro para alisar e domar a minha farta juba, estou decidida a avançar com um desses alisamentos tão em voga.

(Nota da redacção: Efeito Juba na cabeça da Julieta – qualquer coisa entre o tufo e o emaranhado de cabelos, nunca encaracolado, nunca liso, sempre o entremeio, sempre volumoso! Nem para curto, nem para comprido, sempre para “mulher das cavernas”!)

Então que comecei a pesquisa. Falei com amigas e já me decidi pelo sítio.
Sendo eu esta pessoa com tendência para momentos félinicos e com um pé sempre noutra dimensão, uma simples ida a um salão de beleza nunca é uma simples ida a um salão de beleza. Só o nome salão de beleza já dava para estar aqui horas a debitar assunto. Adiante.

Fui. Estranhei a porta fechada. 40 graus na rua deixaram-me mais tranquila. Entrei. Um salão grande com bastantes clientes. Óptimo. Um cadeirão em forma de mão. Hum… Eu não o escolheria mas tudo bem. Um aquário com aqueles peixes devoradores de peles secas, blhac, blhac, mas qualquer dia sou menina para lá pôr os pezinhos. E a Bíblia escancarada, aberta num qualquer salmo. UPS! Qué lá isto? E em gigante, escrito numa parede, “Deus é Pai” … ou grande ou lá o que era! Ui, ui, ui, onde é que me vim meter? É que este salão está mesmo pertinho da IURD, na Alameda… não sei, mas eu e anjos e padrinhos e sessões “sai prá lá diabo” e “ eu era a maior cabra mas depois conheci jesus”, com todo o respeitinho somos água e azeite, água e azeite!

Bom, mas se têm lá a Bíblia devem ser bons, boas pessoas, irmãos né? Avancei.
Depois de um teste ao Ph do cabelo, veio então o técnico dos alisamentos aconselhar-me o tipo de alisamento indicado para a minha juba desgovernada. O homem não podia ter mais caracóis, mas enfim, pode não achar graça a cabelos lisos ou então é mais uma vez o universo a dizer-me foge, foge enquanto é tempo! Sabem pessoas, é que eu tenho uma teoria: antes de serem atendidas por um cabeleireiro/a  REPAREM, S.E.M.P.R.E , sempre, sempre, no cabelo da criatura… comigo já deu merdunfa capilar à conta de cabeleireiras com cabelos de mise e madeixas manhosas, quem avisa! Mas isto é sempre “faz o que eu digo não faças o que eu faço”, não é? Ah pois é. Portanto lá fui eu, toda confiante ouvir o sósia do David Luís do Benfica (sei umas coisas e considero-me do sporting, apesar de odiar futebol… estranho!). Ai adiante…

- Poiseeee entãaao, o mais indicado pru seu cabêlo é o alisamêeeento a laserrrre…

- Ah sim? E como se processa? (Bíblia, Deus é grande, técnico brasileiro, claro!)

- Poiseeee entãaao, blá, blá,blá… mimimimi… blá, blá, blá! E não esqueceeeee  SEMPRE que lavar não AMASSA, NÃO AMASSA , faiiiiz assim MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA!

O  técnico, com cabelo de cachinho farto (tradução tuga: caracóis aos molhos!) agarrava no monte de caracolinhos da sua cabeça e a cada questão minha:

- MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA! Não vai esquecerrrre! MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA!

O homem não se calava, e gesticulava, e gesticulava, acho mesmo que se lhe perguntasse as horas a resposta ía ser: MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA!

Ah se eu tivesse lata, tinha-lhe dito: Sai prá lá coisa ruim! Sai prá lá! Só não me vai pôr careca, meu chapa!

- MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA!

Portanto amigas: Cabelo no meio das palmas – efeito ferro; Dedos a passar nos cabelos – efeito escova! Que é para manter o efeito por muito tempo, isso e mais uma fortuna em shampoo, e creme e mascara!
Este post continua, que eu agora ainda só estou na fase hidratação, só na próxima semana avançarei com o tal do “alisamentuuuu a laserrrre”!

Claro que estou em nervos e a acreditar que ficarei careca e a desejar a minha juba de volta, mas não descanso enquanto não experimentar!

Portanto miúdas ( e a miúdos interessados nestes temas), já sabem, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA, MÃO CHAPINHA, DEDO ESCOVA! Não amassa! Não amassa!

(continua…)





25.6.13

Sol da Caparica


Do colégio. Quase a começar. A partir de segunda-feira, alvorada familiar. Temos que estar de “madrugada” à porta do colégio. Muito fixolas para esta família que tem um problema, um “issue” com essa coisa de chegar a horas.

Eu sozinha sou a Miss Pontualidade, always on time, ou até antes que é para garantir que chego a horas. Nós, em comunidade, é o horror. Já perdi a conta a cerimónias não assistidas. Chegar quando os noivos já estão a levar com arroz e pétalas em cima e os convidados bem comportadinhos gritam “vivas” e “vivós” noivos. Ou quando um puto rechonchudo já está mais a caminho da primeira comunhão do que do baptismo a que nunca assistimos. Pia baptismal? O que é isso? Pois, estão a ver não estão?

Portanto, para a semana vamos mesmo acordar com as galinhas porque senão : “Aqui vou eu para a Costa, aqui vou cheia de picaaaaaaa!”

E este ano, at least, não vamos ter o super-casal-maravilha colado à porta da carrinha, no passeio em frente ao colégio a comandar os atrasados. O olhar de esguelha para os pais e filhos que não conseguem cumprir à risca os às 8:15 obrigatórios.

Cá para nós que ninguém nos ouve: “Eu acredito que esta família dorme no carro à espera das 8:15. Nunca se atrasam, estas riquezas. E o super-casal-maravilha faz questão de marcar território na fila da frente dos que chegam a horas. Na fila da frente dos que acenam aos seus petizes. Na fila da frente dos que opinam os atrasos dos outros. Quem passar e vir uma pequena multidão naquele passeio junto aquela carrinha, garanto eu, que na fila da frente lá estará o papai e a mamãe maravilha!

E se calha que alguém se perde ou se atrasa à séria, quem resolve, quem é? SUPEEEEEEER PAIIIII. Saltos triplo mortal para o volante do seat Ibiza e ala que lá vai o super-papai, DEIXA PASSAR GENTE, DEIXA pASSAR, é mais uma missão do super pai, Go, Go, Go! Seat Ibiza em patinanço pronto para mais uma missão! Guiiiiiincccchhhhh!

E quem fica a comandar? A mulher tromba, a super mãiiiiiii!

A super mãe, ao contrário do super pai, que gravita a cerca de 35cm do chão, tal é a felicidade de ser quem é, gravita num raio, e às vezes num corisco, a cerca de 35cm do chão. Sempre com cara de má, mas tal como o marido gosta de resolver assuntos, de ficar de pernas meio abertas no passeio, braços a agitar ordenações, a manter 3 conversas ao mesmo tempo:

Com o motorista da carrinha a quem grita: falta um!
Com a auxiliar que aguarda a chegada dos meninos: falta um!
Com todas as mães e pais que aguardam serenos: falta um!

E depois incha. Incha tanto. E proclama: “O meu marido já lá foiiiiiiiiiiii! O meu marido já lá foi!
Quase sempre guincha “o meu marrrrridoooooo já lá foi” com um olhar esbugalhado. E claro que calha olhar para mim. O esforço que eu faço para não me rir, é desumano. DESUMANO!

Quando o super-pai chega, a super-mãe está quase em espargata, em domínio de todas as frentes!
Depois é vê-los a acenar ao seu rebento, e olhar de esguelha que é para ver se há lá pai ou mãe mais SUPERRRRE que eles!

Amorosos! Adoro gente assim tão boa! Mais uns que são da paz!
Se cantassem podiam formar um coro. Sobretudo a ver pela quantidade de decibéis que utilizam para um simples “bom dia”! BUUUUUUUOOOOOOOoooOOOOooOoOOC! É normalmente ao que soa os bons-dias do super-casal –maravilha às 8:15.

Este ano não vão lá estar. No grupo da praia. Contudo Deus é pai, Ah se é! Papai do céu não falha! E lá estarão no grupo “das piscinas”. Na “pole position”! Deus é grande! Assim já vale acordar com as galinhas e ouvir o galo Cococoricó! Cocoricó!

E é isto. A praia está quase, quase aí. Eu já estou em modo “bifa”. A falar e a utilizar expressões em “inglés”. A dar um ar da minha graça mais irritante. Sou de estalo, não sou? Eu e o super -casal-maravilha! Cocoricó!

Hoje tenho um compromisso às 16:00. Alone. Pelo que o melhor é ir-me já pôr a caminho! (sai um estalo para mim, pessoas, sai um estalo para mim!)

Tá um caloooooor! Boa semana, gente!




24.6.13

Hoje salvei um gafanhoto.

Pequenito gafanhoto encontrava-se no passeio, à mercê de um sapato mais rápido ou de um pneu mais acelerado. Peguei em Sua Excelência, caminhámos junto rua fora. Ainda houve tempo para um ar da sua graça e um salto digno de campeão. Apanhei-o, e guardei-o em conchinha nas minhas mãos. Entrar na loja foi uma aventura, tirar uma chave da mala é qualquer coisa digna de muita paciência e alguma astúcia. Isso em dias normais. Em dias de transporte personalizado de gafanhotos, nem se fala. Conseguimos. E finalmente consegui abrir a janela da loja que dá para os quintais, cheios de árvores e plantas. Há lá coisa melhor para um gafanhoto? O meu amigo não queria largar-me a mão, e eu de rabo espetado e em bicos dos pés, que a janela é alta, lá o tentava convencer. O vizinho da loja ao lado ainda presenciou parte do diálogo. Sem perceber nada confirmará apenas a minha insanidade. Quero lá saber. Hoje já salvei um gafanhoto. Hoje o dia está ganho.

Boa semana, gente! 

20.6.13

Em modo estalactite.

Uma mãe, quando ainda não o é, olha para os bebés que passam, olha para o seu marido (ou companheiro, ou companheira, ou um qualquer espécime humano com quem coabite em união seja lá de que credo for) e pensa: “Ai tão fofinhos e amorosos e tal… opáaaaaaaaaaaaa, vamos lá fazer um!”

E é aqui que começa a grande viagem para a Outra Dimensão. Em que uma mãe passa a ser quantos filhos tem.

Uma mãe começa por fazer um xixi e tentar acertar num cotonete grande chamado de teste de gravidez, salpica tudo, fica para ali naquele impasse: “puxo as cuecas, não puxo as cuecas, deixo-me ficar aqui à espera do resultado, puxo o autoclismo, ai senhores, que nem me mexo, ai, ca nervos pá, será que o meu xixi é suficiente, será que se me espremer bem espremida sai mais um bocadinho de xixi e… E de repente já passou o tempo e com sorte fica ali mesmo a certeza do enrolanço dos últimos meses.

Uma mãe passa nove meses a ver-se crescer. A ver os milagres da natureza. A sentir o que é ter uma “pessoa to be” na barriga. A coçar essa barriga. A fazer mil xixis. De manhã. À tarde. À noite. Leva pontapés. Sente soluçar (Ah que confusão me faziam os soluços das minhas filhas quando ainda estavam na minha barriga!). Imagina a criança “mai linda do mundo” que aí vem.

Uma mãe, um dia, sente um estalido, uma água, e sabe que está prestes a conhecer o inquilino dos nove meses. Uma mãe aguenta estoicamente enquanto um pai tem uma vontade imensa de ir à casa de banho quando devia era estar a ir a caminho da maternidade.

Uma mãe descabela-se em cima de uma marquesa numa box para parir a criança mai linda que já se viu!

Uma mãe passa horas a tratar e a cuidar de alimentar, limpar rabos sujos, sugar ranhos, baixar febres, de dia ou de noite.

Uma mãe até brinca. Inventa histórias. Canções. Faz desenhos.

Uma mãe grita: “COmaaaaaaaaaaaaaaam pá! Comaaaaaam, p.o.r  F.A.V.O.R! Comaaaaaaaaaa! Já!” Centenas de vezes. Pensa desistir. Deixar de educar. Isso é que era bem mais fácil. Uma mãe sabe que isso não é sequer uma hipótese, portanto descabela-se e educa!

Descabela-se e educa. Educa e descabela-se. Na maioria das vezes fica apenas a sensação do descabelamento total. T.O.T.A.L!

Uma mãe sobe no elevador com a vizinha dos olhos de rata, com olhares reprovadores que de soslaio parecem dizer: ”Não achas que gritas demais com as tuas filhas?”. Uma mãe manda a vizinha à real merda só com um olhar e vai à sua vida.

Uma mãe é tantas coisas. Uma mãe vive noutra dimensão. Numa dimensão paralela. E parece mesmo que ninguém dá valor e é tão cansativo, tão desgastante.

Uma mãe às vezes só quer fazer a mala e ir à sua vida. Uma mãe nunca vai. Está cá sempre.

Sempre, sempre, sempre. Descabelada, nervosa, irritadiça. Mas sempre cá.

Há dias mais difíceis. E hoje é mesmo um desses dias. Portanto este é o primeiro post sério aqui do estaminé. Preciso de férias gente! Precisamos todos, não acham? Ai que neura pá! Mais o São Pedro e os seus humores! Parece que amanhã já teremos calor, venha ele, venha ele, que isto hoje está em modo estalactite.


Até amanhã.

19.6.13

Imposto Único de Circulação, caralhete e fódix.

Eu só queria pagar o IUC de meu pequeno, fiel e velhinho automóvel.

Eu não tenho anos e anos de dívidas às finanças. Tenho é uma cabeça, que apesar de grande, onde só encaixam chapéus 59/60, cabem apenas 3 ou 4 lembretes em dias bons. Portanto aquilo que devia ter sido pago em Março, só foi pago ontem.

E? E, que esta pessoa distraída teve o azar de escolher fazer o pagamento via net, digitar o valor e enganar-se… em vez de 35,36€, digitou 35,06€. E é então que toda uma odisseia tem início.

10h16min: Senha E91, e ainda vai na senha E22…10h17min: decisão acertada de regressar à loja, ir trabalhando e de vez em quando ir até às Finanças, mesmo aqui pertinho, ver em que senha vai… 10h30min: Senha E23…11h00min: Senha E24…11h15min:Senha E74…11h30min: Senha E71 (!?) inexplicável…11h45min: Senha E72… Às 12h20min ainda estava na senha E77…

Numa das idas, falo com um funcionário:

- Posso fazer-lhe uma pergunta?
- Já fez!

Querem que vos diga para onde pensei mandá-lo? É melhor não, gente, é melhor não, vai que me sai um fodahífense ou uma caralhadita e isso é má educação e sou eu e a santinha da ladeira, eu e a santinha, umas puras!

O funcionário das piadolas, que se veio a revelar eficiente na ajuda que me prestou (eu é que já tenho uma aversão natural a espécimes de repartições públicas!) reencaminha-me para a funcionária da tesouraria. Só de olhar para ela, MEDO! (Nada que uma piscadela de olho do meu amigo funcionário não resolva). Um pescoço com uma cabeça mal-humorada, por detrás de um balcão, grunhe que se quero pagar os 0,30€ em falta, trintacêntimos, tenho que trazer as guias e os comprovativos do primeiro pagamento e rebéubéu pardais ao ninho!

Então que estou assim: Fui fazer impressões de guias e comprovativos, 0,45€, mas a Sra. das cópias perdoou-me 0,15€ porque todas as moedas que eu tinha perfaziam os 0,30€ em divida nas finanças! Fiquei sem moedas.

Numa das idas e vindas em verificação de senhas reparo num papelinho colado na parede ao lado do aparelhómetro das senhas que diz: “Que os pagamentos de IUC (Imposto Único de Circulação) estão de momento cancelados porque o sistema está em baixo…”

Caralhete e fódix são asneiras? Pois que as gritei bem fundo que sou eu e a santinha da ladeira, umas puras!

Esbaforida lá cheguei ao pé do balcão de pagamentos, onde afinal sempre era possível pagar por obra do espirito santo dos sistemas e procedi ao pagamento dos meus 0,30€. Estiquei uma notinha de 10€ e em resposta um guincho: “Aiiiiiiiiiiiii eu não tenho troco, pague lá com o multibanco, se faz favor!”

- Depois vai receber a carta com a coima de 25€…
- Hã?

Pois gente, paguei fora do prazo, portanto aos 35,06€ de IUC somo 0,30€ de juros de mora (incrivelmente o valor que ontem digitei mal… só não me sai o euro milhões e a cara da funcionária a olhar-me de soslaio: “Estavas a ver se te safavas dos juros? Esperta!) e agora aguardo que me enviem a carta com o aviso de pagamento de coima no valor de 25€!

- E não posso pagar já?
- Não, tem que esperar pela cartinha dos serviços centrais!

Está muito bem! E assim fico a saber as notícias in loco. Muita gente não pagou, houve pessoas que venderam carros dos quais nunca foi alterado o nome dos proprietários e que agora se confrontam com contas diabólicas de IUC nunca pago, carros já abatidos cujos proprietários não pagaram IUC e agora “temos pena, pá! Vais pagar na mesma, exista carro ou não…”, todo um conjunto de cenas mirabolantes com facturas astronómicas para pagar. Credo!

Portanto é isto. Só é pena é que “eles” sejam tão ligeiros a cobrar. Incrivelmente são o BipBip da cobrança tributária mas a Lebre de pagamentos em falta aos cidadãos!  


Boa semana, minha gente e vejam lá se essas contas estão em dia, porque eles andam aí! Por falar neles, caralhete e fódix são asneiras?

7.6.13

Ó kapa!

O mundo divide-se em dois quando me aparece gente que diz: 

- Eu preciso de uma almofada para pôr no SÓ(óÓ)FA!
- Vou encomendar uma Pidezza!
- Já fostes!
- Veio fazer a Vestoria?
- Hádem ver!
- Eu depois envio-te um É-mail!
- Isto assim é Deficil!

E por último abre-se uma cratera entre mim e gente que diz:

- Ó KAPA!

Ó KAPA então, carissimos! Já fostes mais Ó fim de semana com chuva, vai ser todo passado no SÓFA a comer PIDEZAS e a ver o É-MAIL! HÁDEM ver gente,vai ser DEFICIL, que vai, mas o feriado já ninguém nos tira!

Não é de chapada?

Bom fim de semana!

3.6.13

Só não me sai o Euromilhões#125

Tão previsível esta minha sorte! Ora atentem!

Ai fizeste dieta? Ai estiveste 1 mês, e mais qualquer coisa, de dieta? Ai tiveste a força de vontade nos píncaros? Ai perdeste muito volume? Ai tens as calças mais largas?Ai tens a toda a roupa a assentar melhor? Ah, até já  te consegues ver de bikini a cada dia que passa? Já escolheste a cor? E o  modelo? Finalmente a vontade de comprar um bikini novo? Finalmente vontade de ir à praia? E então?

- ENTÃO QUE O RAIO DE UMA PITIRIASE ME ATACOU NA ZONA DA BARRIGA E SOU EU E CRISTO!

PICTURE THIS: ainda sou uma pequena texuga, mais magra é certo, mas ainda atexugada, estou (SOU) branca como a cal, tão branca que pareço azul, qualquer pêlo esquecido transforma-me numa floresta amazónica, e a isto juntem a preguiça de ir ao ginásio (O QUE TAMBÉM TEM OS DIAS CONTADOS!) E PARA COMPLETAR O QUADRO nada melhor que uma carrada de pitiriase, cena de "borbulhame" assim a enfeitar-me em grande estilo a barriga, toda a minha barriga alberga cerca de 100 manchas aborbulhadas, muitas, muitas!

Tragam-me a massa, tragam-me as pizzas, tragam-me o pesto e o queijo ralado, gratinem-me! Gente, gratinem-me bem que eu estou à beira de um ataque de nervos! estou que como um bolo brigadeiro sozinha, e eu nem sou fã de bolo de chocolate!

Opá, que merdinha tão merdosa, fuck pra isto tudo! Mas eu hei-de descobrir a gorda engraçadinha que me lançou este mau olhado, invejosa que me rogou esta praga por não conseguir deixar o belo do croissant! Estou em veneno, pessoas, com um humor do piorio, e a barriga em modo "POP ME OUT"! POP ME daqui pra fora! Oh sina!

Mereço? Devo merecer... vou ali tomar uma colherinha de zyrtec pá comichão e botar uma pomadinha... EU e CRISTO! Boa semana gente!