31.10.13

O prazer da leitura ou deixa lá que é por uma boa causa.

 A Rosarinho já sabe ler. Após 2 meses de aulas já se safa muito bem. E não, ela não foi daquelas crianças "prodígio" que aos 3 já sabia o alfabeto na ponta da língua, e não, ela não aprendeu a ler aos 4 e não, ela aos 5 não lia Camões. 


A Rosarinho é uma menina normal, cheia de saúde e já sabe ler, e isso é o que se quer aos 6 anos. Isso, e que eu tenha também muita saúde e que a saiba motivar no caminho do sucesso escolar. 


Por vezes tem que se engolir uns sapos:


- Ó mae vou-te ler isto... ouve bem... "O ma... no ma... i... mai... mais no... nooooo... vooooo... no vo ah novo não"... viste mãe viste como eu li bem o não? " não gsss... teee... gos... tee... gostou de brreee... iiii... nnnn... caaarrrrr... brincar!"


- Sim, boa muito bem! Porque é que paraste?


- "... não gostou..." POSsaAAAs! Não gostou porquê?


E é precisamente aqui que o mundo se divide em dois.


Ou ralho com a miúda porque disse "Possas" ou incentivo-a a continuar. 


- Boa Rosarinho! Vá continua, para perceberes porquê! Mas ouve, não se diz " possas" está bem? (Uma mãe trabalha 24 sobre 24, mas lá deixei passar este "Possssssas"!)


É isto gente, apesar das palavras ainda em uso precisarem de uma afinadela, eu não posso castrar a indignação, a curiosidade perante um texto, porque é precisamente aqui que se cria uma futura amante da leitura e da palavra escrita. 


E se a criança sai à mãe na língua afiada não vai falhar no gosto pela leitura. Ha lá coisa melhor que um bom livro? 


"Possas" ainda ontem nasceu e agora já lê? Ai, pá!


(como é que se escreve "possas", "pôças" ou "pôssas"? pois não sei...)

22.10.13

Alfabeto de Mãe. E também de Pai. Benza-os Deus.

A de “Acooooooooordem”! – de utilização diária;

B de “Bora lá miúdas, boraláaaaaaaaa!” – repetida à exaustão;

C de “ Cansada, cansada, cansadíssima!” – modo de vida;

D de “Dá cá isso, não metas na boca!” – é incrível o que metem na boca;

E de “Estafada, estafada, estafadíssima!” – lifestyle;

F de um grande e redooOOOOOOndo “FODASSSSSSSSSSE”! (sem hífen!) – fodassssse!

G de “Gosto de vocês, miúdas” – e muito;

H de “Hoje vão-se portar bem, não vão?” – pessoa de fé;

I de “IMEDIATAMENTE!” – prece nunca atendida pelos petizes;

J de “Já!” – caminhadas a pé a Fátima costumam demorar menos tempo;

L de “Laurear a pevide!” - Pois está muito bem! Mas isso acabou, no mesmo dia da confirmação da gravidez, foi chão que deu uvas, rebeubeu pardais ao ninho, temos pena é o que é;

M de “ Mau mau Maria!” – aplicação versátil, usada mesmo que a criança se chame cátia sofia;

N de “NÃO”! – não, não e não;

O de “ÓOOOooooOOOOOOoOOOo pá, quietas”! – as crianças são surdas;

P de “Parouuuuuuuuuuuuuu! Parouuuuuuuu! Parem!” – surdas que nem portas;

Q de “Queira Deus que eu as consiga criar para que venham a ser adultas responsáveis e honestas” – ai a fé, moverá montanhas? As mães todos os dias se reinventam e acreditam que sim;

R de “Raios parta isto tudo!” – de joelhos, no chão da cozinha, a apanhar grãos de arroz, bocadinhos de carne, de peixe, de fruta, do almoço de hoje ou do jantar de há 3 dias nos sitios mais incriveis;

S de “Saúde!” – o único e mais sentido desejo de uma mãe;

T de “Tás aqui, tás ali ! “ – onde?;

U de “ Ui, ui, ui”! – temos chatice ;

V de “Vai já arrumar o quarto!” – é por isto que as crianças vão ao otorrino;

X de “XIU!” – os cérebros infantis não conseguem descodificar esta informação, é inútil repeti-la;

Z de “ Zonza de sono, zonza de fome, zonza de amor! – a palavra zonza devia ser tatuada nas mães ainda na maternidade para que o mundo perceba o quão difícil é conciliar tudo, e o quanto têm de ser gratos às mães porque no meio do caos elas safam-se sempre.

Não safamos? Boa semana Mães (e pais, e avós, e tias, e madrastas e padrastos, e toda a gente que lida com petizes, que são uns amores, que são mas que dão muito trabalho, ó se dão!)

(Nota: este abecedário é interactivo, cada mãe sua sentença!)



18.10.13

De um marido que acredita ter casado com uma doida e eu confirmo.

Ó pessoas não sei se vos acontece, mas eu tenho um sonho recorrente. Alguém me ataca e eu vivo momentos de aflição a tentar defender-me. Dou gritos, sem som, por mais que grite, e deve ser por estar a dormir, não sai som nenhum, e pontapés e murros que nunca chegam a atingir o atacante. Toda uma aflição. E corridas escada abaixo, um looping de degraus que terminam invariavelmente num patamar sem saída! Credo!
Numa destas noites estava a ter um destes sonhos. Levantei a perna, preparei um super mega pontapé e:

- Aiiiiii! O qué isto?! Tás loôooooooOOca! Deste-me um pontapé!  

Pimba! Em cheio, gente! Com toda a força! Só não foi no atacante, foi no pobre marido que levou um pontapé em cheio nas canelas enquanto dormia o sono dos justos! 

Hoje sonhei tanto, não me recordo de nada, mas foi cena agitada! Tanto que a meio da noite houve "pancadaria":

- Opá Gil estás-me a dar murros no braço!

- Tu és doida! Tu é que me deste a mim! Louuuucaaaa!

- grrrrrrszjvjfjebd j fxotcotoc! grumffhhh!

E nem vos vou falar da minha queda de cabelo por estes dias! De tal maneira que achei mesmo que ia ficar careca! Cruzes, canhoto! lá fui cortar o cabelo, a contragosto, e agora estou com aquele ar que eu odeio, ar de cabeça de bola com tufo à Fábio Muchacho! Resta-me aguardar pelo próximo alisamento! Leva um esticanço  que nesse dia cresce pelo menos 5cm. 

Portanto é imaginar: cabelo de Fábia Muchacha e sonâmbula perigosa! Um mimo! 
A consulta no Julio já esteve mais longe... ó se esteve!

Bom fim de semana, boa gente, é o que vos desejo!
 

15.10.13

Estilo precisa-se!

Em doses industriais.


Estou farta de ser esta coisa desestilosa (sim, tenho um pequeno gnomo

brasileiro dentro de mim e invento palavras!) e fashionista bafienta!


Há dentro de mim uma chama que arde sem se ver, uma pessoa cool que teima

em viver esta vida de morcego, sempre pendurada de cabeça para baixo a ver

a banda passar.


Vou fazer mega limpeza no meu, parco, espólio de trapagem sensaborona.


Ontem decidi que não ficarei com nenhuma peça de andar por casa!


PESSOAS só por aqui se vê! Peças de andar por casa! Vão buscar a picareta e

deem-me com ela! Deem-me forte que eu mereço!


PEÇAS DE ANDAR POR CASA, que ontem se resumiam a:


- T-shirt oferecida pela lanidor num ódio colectivo pelos ratings da Moody's Corporation;

- Calções  de algodão que adquiri no Lidl ( é verdade, no Lidl, picareta nos costados e é já!);

- Uns inconfessáveis sapatos de tai-chi ( houve tempos em que eu usava sapatilhas de  ballet, qual diva, mas depois abrilhantei o meu "andar por casa" com umas sapatilhas de velhote asiático... E até esse tem mais estilo que eu...Sem palavras!)


E para verem que isto só lá vai à picaretada, eu estava de meias, na verdade eram peúgas, curtas pelo tornozelo.


Tssssss! Tssssss! Eu e um velhote asiático e até o Gil não me distinguiria... 


Ontem, quando me olhei de cima para baixo, e vislumbrei o tai-chi shoe e a peúga, tive a certeza:" Estás deplorável mulher, e nem venhas com essa da maternidade e as hormonas... Isso já lá vai há 3 anos, Julieta, 3 anos!"


Ai gente terei cura? Que neura, pá!


Eu entro nas lojas e não gosto de nada ou do que gosto é muito caro, ora não sei conjugar nada... Pffffff! Para a casa sei sempre o que escolher, arrisco e nunca me arrependo, acho que até tenho jeito, agora vestir-me é todo um martírio! E depois só me cruzo com gente gira a quem qualquer bata brilha... Umas parvas, pá. De certeza que não têm indumentárias caseiras... Nem vão ao Lidl... Picaretas, picaretas, por favor! Aqui nos costados! Obrigada!


TOOOOOOoooooÔ chateada! Vou para ali amorcegar! Ou quem sabe dar uso à sapatilhas e tai-chichar a chicha que bem preciso! fui!


Até amanhã.


14.10.13

Lisboa, 14 de Outubro de 1991. 22 Anos.

Hoje faz 22 anos que eu, vestida de casaco de penas Duffy, aceitei namorar com o Gil. Estávamos à porta do colégio e demos o primeiro beijo. Eu devia parecer um pequeno texugo, insuflada em penas de pato. O Gil não se intimidou.

Acho que era terça-feira. 

- Queres namorar comigo?
- Quero.

CHHHHHHHhhhhhhuuauuauauuUUUUUUUac.

- Adeus até amanhã.
- Tchau, até amanhã.

E é isto. Um beijo. 22 anos. 2 filhas. 2 gatos. 1 hipoteca.

E, sim, à nossa maneira, somos felizes.

Se eu agora me visse à porta do colégio, 22 anos antes, insuflada em penas de pato, 15 anos fresquinhos, rosadinha e bolachuda, tenho a certeza que lhe dava o mesmo beijo:

- Queres namorar comigo?
- Quero.

E é isto. E que seja por muitos e bons anos.

Boa semana, gente!

11.10.13

Dos Cus virados para a Lua agarrando os Touros pelos Cornos.

Mães quem é que disse que são só alguns privilegiados a ter os cus virados para a lua? Hã? Quem nunca foi mãe. Claro está. E pai. Benza-nos Deus. E quem agarra os touros pelos cornos nestas arenas da vida?

Desde o momento que as alegrias de seus paizinhos vêm a este mundo, os pares de cus que se viram para a lua são dignos de luares espectaculares e luas cheias redondas, muito redondas, luzidias e perfeitas. Desde o momento que nos dizem que estão inteiros e são saudáveis, o nosso primeiro suspiro de alívio dá a partida para a corrida das nossas vidas, resta-nos agarrar os touros pelos cornos e fazermo-nos a esta arena do tamanho do mundo!

Arenas de água e sabão: Banho às crianças! Cus espetados em acrobacias para não ferrar os dentes no fundo da banheira tal o chapinhanço… que piora com a idade! Ai piora, sim! Aos papás recentes que acham o banho toda um experiência de amor e entrega, o catano para vocês, amor, só se na partilha de água e sabão em chapadas certeiras na tona da água, entrega, só se na esponja toda ensopada de espuma assim mesmo no meio da vossa cara ou a voar para longe, muito longe da banheira, lá para os lados do chão em pavimento flutuante, manhoso, que a cada pinga, mini gota de água, incha, incha e fica de tábuas empenadas, o frágil… E o nosso cu, lá está, empinado para uma lua que teima em atraí-lo!

Arenas de refugado e papas cérelac: Alimentar as crianças! Por momentos estamos sentados, e o nosso digno sossegado, mas de repente começa a pega. Quero água! Quero um guardanapo! (A alimentar crianças desde 2007 e ainda não consigo pôr a mesa completa!) Quero mais água! O nosso real traseiro roça o banco mas nunca o atinge! A partir de agora é de pé! Querooooooooooo água! Queroooooooooo mais arroz! QUEM, EM NOME DO SEU LUZIDIO CU, assim mesmo, CU, não é rabo, nestas alturas não é rabo! É CU! DÁ ARROZ A CRIANÇAS? Eu dou. E quando estou de CU espetado para a lua a apanhar grão a grão, encho o papo, mas é de impropérios, com muitos FOs e Dasses! Olé mais um Grão, OLÉ! Grande e gordo, virado para uma lua de pais e mães apanhadores de restos de comida em chãos de cozinhas por esse mundo fora! Olé! Olé!

Arenas de peluche e lápis de cera: Arrumar passa a ser de cu para o ar, porque é absolutamente incrível a capacidade que pequenas pessoas têm de espalhar tudo por todo lado, e em qualquer canto! Por vezes chego a casa, uma casa arrumada, com tudo no lugar. Vou fazer o xixi da chegada e lavar as mãos e quando peço para que as minhas crianças venham fazer o mesmo, sigo-lhes o rasto de apenas 5 minutos em casa e é ABSOLUTAMENTE INACREDITÁVEL! Em 5 minutos já arrastaram nenucos, dráculauras, ATIRARAM CASACOS E SAPATOS PELO AR! (fico possessa com isto!), peças de jogos, legos, panelas de brincar, lápis de cor, MONTANHAS DE COISAS, por onde passam tudo espalhado! E se são ligeiras a agarrar em coisas, feitas polvo, são de um ligeireza sobrenatural a espalhá-las, POR TODO O LADO! E quem espeta o cu para apanhar tudo? Mamãe aqui! Olé! Olé! Nenucos pelos cornos, CATCH! Barriguitas pelos cornos, CATCH! Coisas, coisas e mais coisas pelos cornos, CATCH! Oléeee!

Arenas de algodão e almofadas fofinhas: Ir dormir! Depois dos beijos, dos mimos, muitos “adeus e até amanhã”, muito cu espetado por esse mundo fora desde que o IKEA fabrica estas mini-camas para pessoas pequenas, costas de pais e mães esfrangalhadas, cus em modo up, up urrraaaaaa! E a seguir há cus espetados, mas é de pais e mães deitados de barriga para baixo e cu para cima, desmaiados de cansaço, que isto de treinar glúteos atrás de pequenos infantes é treino para as olimpíadas! Ó se é! Voos picados, com aterragem na cama, pança para baixo cu para cima, ROooooOOOOOnC!
Portanto só com uma boa cornadura é que nos tornamos uns cus virados para lua!

Pais e mães, ninguém disse que seria fácil, mas não vão ser uns bezerros a desmame com corninhos de goma e pastilha elástica a fazer-nos desanimar nesta corrida! Olé para todos!

Oléeeeeeeeee! E bom fim de semana!


(NOTA DA REDACÇÃO E PARA MEMÓRIA FUTURA: ESTA QUE VOS ESCREVE É TOTALMENTE CONTRA TOURADAS, MAS UM TOURO ENAMORADO DA LUA DERRETE QUALQUER CORAÇÃO! E O DESTA VOSSA AMIGA POR VEZES, só às vezes, É DE MANTEIGA!)




10.10.13

Pessoas

Pessoa histérica: Uma histérica no comboio a caminho de Faro (des)animou toda uma carruagem cheia de passageiros que tiveram que gramar os seus risos estridentes a roçar a histeria numa longa viagem de quase 4 horas. No final ainda brindou todo o pessoal com um guiiiinchooooo fura tímpanos. SHIU! SHIIIIIUUUUU! "Deve ser tarada só pode! Doida varrida! Parvalhona!" A opinião sincera de uma rapariga cigana pôs fim ao griteiro!

Pessoa cuspidora profissional: No avião a caminho de Exeter (quem é que viaja para este sitio? nem no aeroporto passei despercebida: "Julieta, vai para onde?" A cara de espanto era por demais evidente!) fiquei sentada ao lado de um tipo que parecia ter saído da série "Shameless", versão British, a minha preferida. Sentado ao meu lado, a roer as unhas e a cuspi-las a grande velocidade, dava saltos de contentamento com as manobras da descolagem: "Yeah! WOW! Look LOVEEEE! LOOK! WOW!" Ainda me perguntou se eu não gostava de aviões uma vez que ía para ali com um ar estarrecido: "I do! I do!" Escusado será dizer que o meu ar estarrecido era somente a cara que eu faço quando rezo para que um desconhecido, que vai sentado ao meu lado, a cuspir unhas, não se lembre de descalçar os sapatos, tendo em conta o cheiro nauseabundo que emana das suas axilas. A minha cara era só de: "Oh GOD SAVE MY SOUL! Se este tipo se descalça eu desmaio! E se uma daquelas unhas me acerta?! Deus? Iuuuuuuuú? Where are you when I need you?" O avião estava à pinha mas DEUS ouviu as minhas preces e o "Cristiano Ronaldo", tatuado e suado, arranjou outro lugar onde se pôde esticar ao comprido e desamparar-me a loja! GOD!

Pessoa (des)atenta a tudo: Na fila do Lidl, em dia de enchente, uma senhora sai da fila e vai direita à menina da caixa (Um aparte, porque é que as meninas da caixa são sempre as meninas da caixa ainda que tenham 117 anos?): "Oiça lá, este bacalhau está fora de prazo! FORA DE PRAZO!" A menina da caixa agarra nas Migas de bacalhau e lança um olhar à cliente inchada de razões: "Sim, o prazo termina em Agosto... de 2014!" Pffffffffffff. A mulher balão, inchada de razões, esvaziou em segundos, enfiou a carapuça e regressou à fila.

Pessoa com 2 caras: Uma senhora cantarola pela loja de caridade. Trauteia uma musiquinha e eu acho-lhe graça. Ri-se para mim e eu penso: "Querida esta senhora, fossem todos assim e andavamos mais animados!" Trocamos dois dedos de conversa e sou brindada com isto: "Não gosto do meu bisneto! O miúdo parece parvo! Da minha neta sim agora daquele... rais`parta o miúdo! Todo abebezado!" Velha bruxa malvada, enganaste-me bem, coitado do miúdo, "rica sorte" uma avó assim. Já a voltei a ver, mas de mim só cara de pum, velha idiota.

Pessoa reencarnada num vizinho aqui da loja: Da outra vez foi a Mulher Irada II a gritar impropérios aos lenços dos namorados e aos erros ortográficos. Hoje a Mulher Irada II reencarnou no vizinho:" Olhe desculpe a pergunta mas o lenço tem erros...sabe?... é de propósito ou...?" É de propósito, siiiiiiim, é de propósito...!

Valha-me a Santa!

Tudo a correr gente? Isso é o que se quer!



9.10.13

Maridos em fúria.

Tenho a conhecida mania de juntar coisas. Velharias e parafernália. Sou a rainha da sucata e da nossa arrecadação. O Gil passa-se. Diz que um dia entra na arrecadação e perde-se. Equipas de salvamento serão a sua única esperança uma vez que eu sou doida.

Estou decidida a "mudar-me". A partir de hoje regresso à luta. Estou a travar a dura batalha de transformar a minha arrecadação num local arejado e onde se possa entrar e, NA LOUCURA, circular!

Ouvir-se-ão sinos! O tibete e a minha arrecadação! A paz e a harmonia! As energias do universo e as brisas do mar! Aleluias de cada vez que se rodar a chave e se vislumbrar o paraíso das caixas etiquetadas e dispostas por cores e tamanhos!

Marido não acredita! Marido está descrente! Marido acusa a sua amorosa mulher de "tresloucamento arrecadacional"!

Mulher diz-lhe que nada será o que foi e não tarda seu amado marido poderá passear-se na arrecadação e até dar piruetas que nada lhe cairá em cima da cabeça!

Marido mantém a postura descrente porque não compreende que para arrumar a mulher terá que desarrumar, terá que reorganizar o caos, retirar coisas, recolocar coisas, re, re, re, re até atingir o nirvana!

E já comecei o processo. Hoje já de lá sairam uns quantos sacos!

Enchi a mala do carro. E só isso já foi um alivio. Aquilo que eu já não quero parte agora para outras mãos.

Quando hoje de manhã, o saco dos grelhadores caiu no Saldanha, no meio do chão, aos pés do rico marido em fúria, eu soube: "Isto vai ser duro, ó se vai!"

- Opá porra o que é isto? Onde vais tu com os grelhadores? Mimimimimi! Porra pá! Não se pode abrir a mala do carro! E o camandro e mimimimimimi!

Calma homem, os sinos tocarão! Acredita em mim!

Podem imaginar o que me ri? O Gil e o saco dos grelhadores aos pés, no Saldanha? Ri-me sobretudo de nervos, porque mal ouvi o saco e os grelhadores no chão pensei: Ai que é desta que o homem me morde! (E é claro que tinha que ser o saco mais barulhento a cair! Dah!)

Até vai fazer eco na arrecadação, me aguardem!

(Vês marido? Já tornei pública esta questão, agora para além de ti terei toda uma multidão de 3/15 pessoas a exigirem-me resultados! É desta, é desta!)

Afonso, o cão de loiça

Há uns anos eu gozava com cães de loiça. O Gil tinha um colega que tinha um em casa, a fazer conjunto com um móvel bar e uma fotografia de corpo inteiro do seu dia de casamento de 1,50mX0,75m a fazer de cabeceira da cama. Para mim os items mais horríveis para se ter em casa. 

Hoje eu sou a feliz e orgulhosa dona de um cão de loiça, dalmata e tudo, portanto um puro sangue de cerâmica!

Uma amiga, obrigada Claudia Alves Carreiro, alertou-me para isto: O meu Afonso na Revista Evasões deste mês! 

Estou que não me aguentam! Coisa mai linda o meu Afonso!


Boa semana!




3.10.13

E foi assim que me levaram 10euros. God Save The Queen.

Entrou a espumar da boca e a transpirar as estopinhas.

Como era enorme eu pensei: “Querem ver que ainda cai para aqui redondo!? Deusma livre pá!” Aquele suor e aquela espuma nos cantos da boca eram qualquer coisa, eu já só imaginava o homem em tombo vertiginoso no chão com alguma síncope!

Contou a sua história, CREDÍVEL, como todas as histórias de todos os aldrabões que fazem girar o mundo da gatonagem.

Um verdadeiro cavalheiro, nunca se sentava comigo de pé, o paizinho militar foi quem o ensinou a ser assim. Um mimo. O desejo das sogras deste país, não fosse aquele rio de suor pela cara abaixo e a espuma na boca! Um nojo. Só superado pela minha boa vontade cristã!

Depois de contar mil coisas, que não interessavam nem ao menino Jesus, depois de mostrar o seu interesse em adquirir aulas de costura e combinar horários e tudo, chegou a hora de se ir embora.
O biltre começa com a lenga-lenga da carteira esquecida no carro do paizinho e não sei quê, não sei quê, e agora a minha vida comé que volto para casa e rebéubéu pardais ao ninho… e PUMBAAAA… tiro certeiro aqui nesta vossa amiga.

Estico-lhe 1€ já sabendo que me ía cravar mais. Ai a camioneta que é tanto e mais o metro e o telefonema e não sei quê e eu a querer livrar-me dele e a história absolutamente credível e toma lá 10€ (SACANA!) que depois é mais fácil para fazer contas ora 6,75€ da camioneta, mais 1,25€ do metro, eu volto, eu volto, aqui tem o meu número de telefone, e aquele suor nojento e a espuma na boca, e eu que só penso depois de me darem os golpes e se porem a milhas nunca dando tempo para me defender!

Desta vez não. Era uma história credível. Uma história que a ser verdade era muito chato para a loja se eu não tivesse sido prestável e educada. Uma treta. SACANA!

Peguei nos 10€, na minha cabeça um “já fosteeeeessss Julieta Emília!”,  e perguntei-lhe:

- Oiça lá você é daqueles malucos que anda de loja em loja a dar golpes?

Que não! Oh francamente! Eu sou da família dos toureiros… ronhónho´ronhóronhoó…

Tá bem ó estúpido! Ó estúpida! Que foste na conversa! God Save The Queen! The Queen da Burrice! ME! “Fostesssssssssss”!

E pronto levou os 10€ porque eu sou parva. E porque se fosse verdade o homem estava mesmo enrascado. E porque eu sou parva. E porque lhos dei porque quis. E porque eu sou parva. E porque só me lembro das mil alternativas de resolução do problema depois de lhe emprestar os 10€. E porque sou parva. E porque o tipo estava de fato, e eu já devia saber que se tem história de aldrabão e se estiver de fatinho, é meio caminho para ter a certeza absoluta de que é aldrabão!

- Oiça lá você é daqueles malucos que anda de loja em loja a dar golpes?

- Olha também lhe dava um grande golpe por 10€, francamente!

E deu. E eu posso com isto? SACANA!

E provavelmente os meus 10€ levaram-no só até ali à Av. do Brasil ter com os outros Julinhos!
Sai-me cá uma Julinha! Parva pá!

Olhem e agora vou-me para um fim-de-semana que começa mais cedo lá para os lados da Cornualha. Essa mesma, em terras de sua majestade!

GOD SAVE THE QUEEN ! E a minha sanidade, já agora!

Até para a semana, boa gente! Fui!




2.10.13

Ontem foi assim.

Ontem estava um dia de chuva mesmo feio.
Ontem o dia estava tão cinzento.
Ontem já era 01 de Outubro. A 01 de Outubro os dias já são muito mais pequenos.
Ontem eu andei todo o dia peganhenta à conta desta humidade.
Ontem, e hoje, tenho um monte de roupa para lavar e consequentemente para secar, na fila, à espera, que outro monte já lavado seque.
Ontem fui buscar as crianças. Chovia aquela chuva miudinha. Para mim a pior chuva. A mais irritante. A mais molha tudo.
Ontem estive cerca de 2 horas dentro do carro. Entre ir buscá-las e esperar pelo Gil.
Ontem descabelei-me várias vezes durante uma hora dentro do carro à espera do Gil.
Ontem elas estavam especialmente histéricas, especialmente cansadas, especialmente chatas, especialmente provocadoras.
Ontem eu estava com uma neura do caraças.
Ontem, após 2 horas dentro do carro, uma das quais parada à espera do Gil, perdi a cabeça e desatei aos gritos com mais um histerismo das crianças e por saber que chegar a casa às 21h00 com tudo por fazer só podia dar em cenas de faca e alguidar.
Ontem, eu desperada de tanto esperar, elas desesperadas de tanto esperar, eu aos gritos, ainda oiço, um Gil zen:

- Estás a gritar porquêeeeeeeee? 

Sabem estes porquês arrastados e a soar a prior da igreja? SABEM? assim quase sussurrados?

- Faz parte.

Sabem estas certezas de quem não esteve duas horas dentro de um carro com 2 crianças? 2 HORAS! E que por uma qualquer razão sofre de uma súbita amnésia? Amnésia-congénito-provocadora?

FO...

ARRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGHJGUt68qw36r4qf246&/%$&%$$%&$8654F654VTr(&%$56654T6/&%/&578T596GF56R4f(%&t45%&/&5T876

...SSE*

E foi assim!

(*isto dos blogues é muito fixe para desabafar, aconselho vivamente. Fortunas que se poupam em terapeutas.)

1.10.13

Outra dimensão ou as crianças crescem num instante pá!

Há uma palavra apenas que, para quem nos ouvir, nos confirma imediatamente como mães e pais.

Cocó.

E há um momento da nossa vida que sabemos que os nossos filhos já não são bebés.

Estamos descontraidamente à mesa, à hora do jantar, a falar de cocós, por vezes da própria consistência, cheiro, peso e textura dos ditos, e um dos "nossos bebés", nos prova que de bebé já não tem nada, quando nos brinda com um absoluta altivez acompanhada de uma expressão de dó pela nossa lastimosa escolha de assunto:

- Óoooo mãeeeee, este não é o local correcto para se falar dessas coisas!

Ontem, à Rosarinho, só lhe faltou um "francamente, mãe!" e a mim um buraco para me enfiar porque de facto este é o último lugar na terra para se falar de cocós.

Claro que me apeteceu explicar-lhe tintim por tintim porque é que eu sei tudo sobre cocós desde Setembro de 2007, de quantos me passaram pelas mãos, se me entranharam na roupa e tantas vezes na pele, de como eu tive que estar em público a disfarçar fedores familiares e de como me tornei perita em limpar cocós em todos os locais e em todas as situações e posições possíveis e imaginárias. Eu e todos nós, pais e mães. Pós-Doutorados em "Cocó-Science". Quase sempre de ficção porque só numa Twilight zone como é a maternidade e a paternidade é que se aguenta tamanha dimensão, muito para além da 5ª! É todo um mundo paralelo!

O que é facto é que a miúda tem razão. A miúda está a crescer e eu ao deixar de me preocupar tanto com cocó estou a vê-la crescer e a saber coisas... e a começar, muiiiiiiiiiiiiiito lentamente é certo, QUE EU NÃO ESTOU INSANA!, a ter saudades de quando estas criaturas eram apenas bebés!

É assim que começa a haver em minha casa pessoas, pessoas "inteiras" que sabem umas coisas acertadas e eu começo a ter medo do que aí vem!

Ui, ui, agora é que vão ser elas! E eu estou bem servida de "elas"!

Ai gente! Tento na língua pessoas, tento na língua!

E mudando radicalmente de assunto, alguém tinha saudades deste tempo? Pfffff `pró São Pedro! Ainda é cedo e pior é que assim anima os histéricos do natal, e não tarda temos aí bolas e luzes ainda antes do verão de São Martinho!

E o Verão de São Martinho transporta-me para castanhas e jerupiga! Castanhas assadas e jerupiga fresquinha! Ah maravilha! É certo que "me prendem" um bocadinho, mas isso são lá assuntos para se ter aqui! ("Ai, ai a mãe!" dir-me-ía a pequena criança crescida! "Óooo mãeeeee!")

Jerupiga fresquinha, aaaaaaaaaaaah pá... É logo outra dimensão!