28.12.12

Pai Natal, meu puto, não dá meu!

Ontem li uma cart(inh)a mui fof(inh)a de uns pais a explicarem `a  sua pequena criança que o Pai natal existe na forma de amor, e que temos que aprender a acreditar em coisas que não nos cabem na palma da mão e que o mundo é lindo e os passarinhos vêm na primavera e nascem bebés e rebéubéu pardais ao ninho.
Pois que está muito bem! Não se fosse dar o caso de o Pai Natal este ano ter trazido “O” Continente das Barriguitas cá para casa e eu agora estar a duvidar da minha sanidade e da de meu querido marido quando demos o aval ao queriducho das barbas brancas!
Ainda antes dessa pessoa barriguda nos ter brindado com a sua “visita” anual, eu já guinchava em loucura com as duas petizas, que se encontravam, por esta altura, e pós-bacalhau, num estado avançado de histerismo e loucura, atirando com tudo o que havia no seu quarto, pisando cada brinquedo espalhado pelo chão do quarto (tradução de quarto na nossa linguagem familiar: qualquer coisa entre uma feira da ladra e um furacão!) sem qualquer remorso! E com muito sono, sei disso, sei disso, mas o que fazer? Todos querem ver as crianças a abrir presentes... e não estão cá todos na manhã de natal...
Eu não posso ver pisar brinquedos, não posso ver a destruição pela destruição, o “quero lá saber”, “Deixa-as estar, coitadinhas…”! O caneco! Mesmo em noite de consoada, uma coisa é brincar e desarrumar (até eu considero normal!), outra coisa é apenas atirar pelo ar e pisar, sem querer saber… eu continuo a ser mãe em noite de natal portanto diabas da tasmânia são educadas mesmo em noite de excessos!
Pois que ainda não sou megabruxa e decidi avançar com toda a encenação natalina (Que eu estava cá com uma neura perante o quarto que EU iria ter que arrumar, EU!). Velhaca? Não me parece ó pessoas que me dizem:” TSSS TSSS!” E aquele olhar de reprovação! Não se deve enganar as crianças com essa história, mentir-lhes acerca do Pai Natal e mimimi e a coca-cola e mimimi… pois, aaaah, o que dizer?… bardamerda para esses opinionmakers! As minhas crianças hão-de acreditar no Pai Natal até quererem!
E enquanto a sua mãe gritar para o infinito, de pé na varanda, com toda a vizinhança a confirmar o diagnóstico de pessoa doida: “Adeus Pai Natal, até para o ano! Venham, venham dizer adeus ao Pai Natal! Adeuuuuuuuuuuuuus! Boa viagem até a Lapónia! Mandem-lhe beijos! Até para o ano, querido Pai Natal!
Isto aos gritos e a atirar beijos! Até para o Ano! Coca-cola... tss tss!
Elas e eu continuaremos a acreditar! Enquanto grito e me arrependo mil(hões) de vezes de ter comprado um brinquedo que tem mais de 170… OUVIRAM BEM mais de 170 P.E.Ç.A.S… pecinhas, muitas… mais de 170! CENTO E SETENTA!
E houve alguém que se lembrou, do alto dos seus quase noventa anos, dar-lhes um puzzle, um para cada uma, de 1000 peças, MIL, peças cada… e houve alguém, que impedido a tempo, M.E.S.M.O. N.O. L.I.M.I.T.E, e perante a minha cara aterrorizada largou o saco das M.I.L peças e não o abriu… consegui que não os abrisse! PESSOAS, estão a imaginar… 1000 peças… pessoas não é possível! ARGGGGGGGGGGG! Só de aspirador… só de aspirador!
Agora que tem graça, tem! 2 Puzzles, 2000 peças, D.U.A.S. M.I.L., uma criança de 5 anos e uma outra de 2 anos! É maravilhoso! Quero ter o mesmo sentido de humor aos 90 anos!
Por isso, sem darem por nada, e por as barriguitas serem o objecto mais desejado este Natal, um supermercado e um carro com direito a tudo mantiveram-se na sala! Todos os outros brinquedos, OUVIRAM BEM todos os outros desapareceram `a velocidade da luz. Estão guardados ou para outras ocasiões festivas ou outra altura qualquer! E querem adivinhar? Nem deram por nada! Assim como abriram os embrulhos esqueceram o que vinha lá dentro! Teorias que se confirmam pessoas, teorias que se confirmam!
Portanto Pai Natal, meu puto, para o ano que vem, vamos rever esta cena dos presentes! Too much stuff is not good!
Agora vem ai o Ano Novo! 2013! “Que sera, sera…”, mas será bom! É o que vos desejo queridas pessoas! Eu cá, já o vou começar a recolher iogurtes e garrafinhas miniatura do supermercado das barriguitas! Um mimo! Hoje já vou ter que abrir o aspirador e procurar no meio do cotão a minichupeta de um bebé das barriguitas… Oh haja saúde, minha gente, haja saúde!
Até 2013 boa gente!

21.12.12

Tenho um par de calças decente, um único par.

Devia comprar urgentemente outro par, ou vários pares.
Depois cruzo-me com coisas que adoro, e em vez de me vestir, visto a casa.








 
Esta é a minha paixão. A procura da melhor (e mais gira) pechincha é o que me move!
Pode não ser consensual, e na maioria das vezes provoco desconfiança nas escolhas que faço para "vestir" a casa.
Se não fosse assim não era minha.
O Afonso que o diga.

19.12.12

Post merdoso ou às vezes também não estou para piadinhas!

Ai que vou ser arquitecta!
Vou penar 5 anos, 5 longos anos, vou sobreviver às aulas de projecto e a todos os ressabiados e deprimidos que as dão.
Vou acabar o curso e vou ser arquitecta. Vou acabar o curso e espremer-me para arranjar um estágio. Ninguém me vai pagar e vão exigir-me o mundo. Vou acabar o estágio e espremer-me para arranjar um trabalho. Vão pagar-me mal, muito mal, não vou ter direito a nada, só a estar calada perante um déspota qualquer e vão exigir-me o mundo.
Grávida de 8 meses, vou levar um pontapé certeiro e vou ser despedida, salvo seja, vou ser mandada embora sem direito a nada.
Mãe há uma semana, vou pôr em prática os cursos de arquitecta + avaliadora imobiliária e vou trabalhar já. Licença de Maternidade? Ah Ah AH, piada gira! Um piadão, mesmo!
Ai que estou com babyblues, ai que me doem as mamas por causa do leite, ai que a criança chora e não come, e… vai mas é trabalhar!
Quilómetros e quilómetros, 110.000km, vou eu fazer em 3 anos. Vou ter a segunda criança. Licença de Maternidade? Ah Ah AH, piada gira! Nunca perde a piada!
A crise veio para ficar? O sector da construção falido, a banca falida! És o quê? Arquitecta? Ah Ah AH, piada gira! Um piadão, mesmo! Fazes avaliações? Ah Ah AH rebolo a rir!
Vou a algumas entrevistas, tudo a correr bem até a palavra “filhas” vir à baila! Ah e tal… ah e tal… pois que não vai dar! Ai és mãe? Vai de reto Satanás!
Vou continuar a fazer quilómetros. Muito menos quilómetros. Vou continuar a fazer o meu trabalho, a pagar a minha gasolina, a pagar o meu telefone, a pagar as portagens, a levar o carro à revisão. Vão pagar-me a 6 meses e ainda me vão fazer sentir culpada por exigir ser paga a tempo e horas.
Vou desejar muito ir-me embora. Zarpar daqui para fora. Sem arrependimentos. Com marido e filhas. Mala e cunha!
Vou tirar um curso de fotografia, à séria, para não sucumbir a uma depressão, essa modernidade que ataca sem dó nem piedade qualquer pessoa mais distraída! E mais não seja, para conseguir não enlouquecer na loja a atender gente doida, gente que sucumbiu, se calhar sem dar por isso!
Vai rebentar um cano na loja e inundar tudo na cave. Vamos ficar com coisas estragadas. Vamos chamar um tipo. Vamos ser parvas de o deixar fazer um diagnóstico e não lhe perguntar quanto vai custar. Vamos ter uma conta de 150€+IVA só por um diagnóstico.
Vou dizer merda, foda-se, putaqueospariu a todos, e no fim seremos as felizes donas de um filme num cd, que mais não é que um cano filmado por dentro e um diagnóstico que nos diz que o cano está roto. UAU! Vou dizer UAU e putaqueospariu a todos! 150€+IVA!
Vou olhar o espelho e chamar-me “Grande Otária”!
Arquitecta? Avaliadora Imobiliária? Qualquer dia Fotógrafa?
Otária! Vai masé tirar um curso de canalizadora! CANALIZADORA! 150€+IVA! Ah pois é!
Isto vai bem, pessoas! Do melhor, mesmo! Um mimo!
Alguém sabe onde é que se tiram cursos de canalizador?


14.12.12

Foi-me ao sabugo, caraças!

Ontem foi dia de unhas.
Arranjar as unhas é uma coisa que me dá conta da paciência, arranjar o cabelo é “so damn boring”, as sobrancelhas o martírio total, a depilação uma seca sem fim, e tudo o que tenha a ver com estar apresentável é para mim absolutamente entediante. Era enfiar uma roupa qualquer e toca a andar!
No entanto defini algumas regras. Depilo todas as partes de maior evidência, alouro pêlos que dão para não tirar, e com isso não parecer o abominável. O buço e as sobrancelhas vão a par na esteticista. E a coisa vai-se levando. Cabeleireiro é que é uma vez por ano e de arrasto, porque odeio tudo o que tenha a ver com cabeleireiros. O que eu gosto mesmo é de um cabelo lisinho, e isso faço em casa com os ferros e poupo euros e pachorra. Depois do que me aconteceu em 2008, caríssimos, o cabeleireiro é um local que me diz ZERO!
Então o truque é, apesar de andar meia matrafona diariamente, há regras. Um olhar mais atento vê-me com umas unhas bem arranjadas, sem buço e umas bonitas (sem falsa modéstia) sobrancelhas. Um dia também conseguirei manter o meu cabelo em condições mas o tempo urge de manhã e à noite não consigo, estou sempre demasiado cansada para ainda ir arranjar o cabelo.
Ontem foi dia de unhas. Verniz de gel. Uso esta solução porque durante 15 dias não preciso de me preocupar com mais nada. Uso-as muito rentes, para que aguentem 15 dias e ao fim não parecer a Cuca do Sítio do Pica-pau Amarelo. Sou a Ovelha Choné do sítio onde vou. Todas as clientes saem de lá ostentando orgulhosamente garras coloridas, brilhantes, “manicures francesas” (coisinha mai`pirosa não há! É a minha opinião pessoas, é a minha opinião!). A minha cor de eleição é a ausência de cor, o mais natural possível, muito clarinho.
Tem resultado porque na loja elogiaram-me: “Ai afinal ainda há gente com unhas lindas e sem aquelas porcarias do Gel e…” Pois, ficou espantada esta senhora! O gel não é só para candidatas a Cuca.
Ontem, a limar-me as unhas: “Rentinhas, não é?” Sim rentinhas, só uso rentinhas. “Veja lá se a estou a magoar”. A magoar não, mas a limar-me o sabugo sim. E limou, e gritei, e limou e gritei e a mulher sempre a pôr a lima de lado e eu a encolher os dedos… Caramba! Chegada a casa e nas tarefas domésticas diárias começo com uma dor num dedo e estou assim até hoje, e sei que só vai passar quando crescer um bocadinho… e ainda há que roa as unhas… como aguentam?
E como raio é que as pessoas com aquelas unhas de Cuca conseguem fazer tarefas tão simples como apanhar moedas, teclar, lavar o rabo? COMO MÉNES? E cabelos impecáveis? COMO? Não dormem? Não trabalham? São milionárias? COMO? Onde arranjam tempo? Eu já nem digo pessoas com filhos… COMO?
A senhora que me arranja as unhas quando calha está com unhas de prái 5cm! ÀS vezes verdes! Hum! Não sei, mas qualquer coisa a ver com tiranossauros a senhora tem! Diz que vai no autocarro e ninguém se mete com ela… Pudera, meus! Um vazamento num olho não é bonito de se ver…
E hoje é dia de depilação, ou isso ou começo a tentar o Guiness, ou entrar em competição com o abominável homem das neves, ou plantar couves nas pernas, com esta crise todos os recursos são válidos!
Que amanhã é dia de festa do colégio e eu tenho que ir apresentável. Imagino sempre nestas festas, CHEIAS DE GENTE, eu ir a andar, tropeçar, fazer uma fractura exposta, vir logo uma multidão e alguém gritar “TIREM-LHE AS CALÇAS! RASGUEM-LHE A PERNA DAS CALÇAS!” E eu ficar para ali com a minha perna peluda e meio colégio olhar horrorizado para a mulher estendida no chão aos gritos “As calças não! AS CALÇAS NÃO!” De facto hoje ainda não tomei a unidose, oh well!
Bom fim-de-semana, gente gira!

13.12.12

Aguenta-te pá!

19h30m na garagem: 2 crianças a dormir. 2 crianças que não acordam. 2 crianças que se são acordadas desatam num berreiro infernal que só termina quando suas excelências acharem ser o momento indicado, por mais que lhes implore que POR FAVOR SE CALEM!
19h32m ainda na garagem: Mãe começa a preparar tudo. Monta um carrinho, mete lá uma das crianças, pendura tudo o que é malas, sacos, lancheiras. Mãe põe a chave de casa no bolso direito, porque esta mãe já a sabe toda (esta mãe já passou vezes demais pelo inferno de estar à porta de casa com tudo às costas, PESSOAS, até com as 2 crianças ao colo e lembrar-se que a chave está algures que não “no bolso à mão de semear”!). Mãe pega ao colo a outra criança.
19h34m a caminho do elevador: Uma criança ao colo, uma criança num carrinho, na eminência de ruir tal o peso que carrega na traseira, o filhadaputa do carrinho é arraçado de carrinho de supermercado e começa a fugir para o outro lado, as putas das rodinhas a irem para o lado oposto do pretendido, a mãezinha a dar sinais de que vai sair blasfémia da sua boca já a bufar!
19h35m entre a garagem e o patamar do elevador: Mãezinha, com o rabo e as costas a darem coices na porta corta-fogo de acesso aos elevadores, para conseguir entrar com tudo de uma só vez.
19h36m no patamar de acesso aos elevadores: As pernas da mãezinha e o braço que carrega a criança a darem de si. A criança que vai ao colo acorda, estremunhada, olha para a cara da mãezinha, parece querer chorar, mas o sono é mais forte. De cabeça levantada começa a pender para o lado, o peso do corpo dormente é demais para o braço da mãe que rosna o primeiro ai! Com muito esforço consegue endireitar a criancinha e puxar tudo para o elevador.
19h37m patamar da habitação: Mãe sai do elevador arrastando tudo à frente e rosna o segundo ai! para logo a seguir, perante a visão das chaves caídas no chão, grunhir o primeiro FO… lá se safa com muita força de pernas!
19h38m no interior da habitação: 2 gatos saúdam a família guinchando e miando com fome (leia-se gulodice) pela sua lata de comida.
Ainda 19h38m: Mãezinha berra desalmada para que os gatos lhe desamparem as pernas, criaturas dos infernos que não entendem bom português e a mãe grita o segundo, e mais completo desta vez, FO…DA… pra isto pá!
19h39m corredor fora: uma criança ao colo é posta no sofá, volta outra vez atrás, outra criança ao colo é posta no sofá, 2 crianças acordam birrentas, 2 gatos não param de miar, a loiça do pequeno almoço toda no lava loiças, a máquina de lavar roupa começa a apitar, terminou o programa, roupa para estender, todos os cantos possíveis para estender roupa ocupados, toca a campainha o homem da engomadoria, tenho sede, quero fazer xixixiiiiiiiiiiiiiiii, miau, miauuuuu, qué faze xixi na sanita! (grita a criança de 2 anos que anda a treinar), começam as duas crianças a chorar, pegam-se próximo da sanita porque uma  e outra se querem sentar, um cheiro a merdelim vindo da caixa dos gatos (PORQUE É QuE EU TENHO ANIMAIS NUM APARTAMENTO? PORQUÊ?) , miau, miau, toca o telefone, chega um mail, qué fazé cócó, tenho fome, ó mãiiiiiiiiiiiiii, miau, miauuuuuuuuuuuuuuuuuuuu, ó mãiiiiiiii a Mercês fez xixi no chão!
Ai! Ai! Agora já só falta dar banhos, fazer o jantar, dar o jantar, convence-las a ir lavar os dentes, berrar centenas de vezes para irem lavar os dentes, convence-las a ir para a cama, berrar centenas de vezes para irem para a cama, o quarto todo desarrumado, minnies, pratinhos, copinhos, bébés chorões, livros, centenas de milhar de ganchos e ganchinhos, Ai porra o meu pé! correr atrás dos gatos para que saiam do quarto das crianças, berrar mais meia dúzia de vezes, gritar outras tantas que o pai Natal não porá as barbas nesta casa! Rosnar, berrar, grunhir, berraaaaaaaaaar e ser completamente ignorada! TUDO NA CAMA JÁ! CHIUUUUUUUUUUU! Ai, ai, ai!
22h00m: Mãezinha a começar a ouvir-se, mãezinha com dores de tão cansada, cozinha limpa, roupa estendida, loiça arrumada, gatos alimentados, chega o paizinho.
22h03m: Paizinho diz o que não deve: “O que é essa cara? Lá está tu com essa cara! E elas portaram-se bem?”
O QUE É QUE ACHAS? HÃ?
Pessoas, se isto não é motivação para desatar a correr rua fora, em treinos do tipo Rocky Balboa, a mandar socos pró ar… tsss tssssss… não sei, não! Não sei, N.Ã.O!
Deixo-vos com esta!



12.12.12

És muito engraçadinha, ó Emilinha!

Sabem aqueles momentos em que nos começamos a ouvir em eco? Quando dizemos uma piadinha, à qual achamos graça, rimos antecipadamente, normalmente a roçar o alarve, e depressa notamos que somos a única pessoa a rir? Ninguém percebeu a piada e fica aquele “som de silêncio” constrangedor? Ahaha…ahah…ah… já te calavas…
Sou exímia em momentos assim, porque tenho a mania de lançar piadinhas em qualquer lado.
Ontem na loja dos animais a escolher alimento húmido para gatos (vulgo latas de carne ou peixe com molho, em pedaços ou em patê… chic, três chic!) e reparo no sabor “coelho”:
- Ah será que é boa ideia dar “primo” aos meus gatos? Ahahahaha…ahah…ah…
Assim fiquei a ouvir-me em eco… primo… imo…imo… ECO!
A senhora da loja ainda disse qualquer coisa: “Primo? Haaaaaaa…”
Já a pagar, a senhora acorda da sua letargia e ainda me tenta explicar: “Primo? Ah ah (2 risinhos nervosos e desnecessários, daqueles só mesmo do tipo” ah percebo a sua piada e não, não lhe acho graça nenhuma”, visto a piadola já ter mais de 5 minutos), pois acho que não fará mal!
Outro momento mega-parvo, e que me faz sempre lembrar a minha filha de 5 anos a tentar inventar uma língua que ela diz ser inglês ou francês, são as minhas idas às lojas dos chineses, momentos sempre maravilhosos para mim e de uma riqueza cultural única. Para além de todas as dificuldades de comunicação com estes senhores, eu faço uma coisa que não lembra ao diabo… nunca contei isto a ninguém… PESSOAS, MOMENTO REVELAÇÃO! Eu, Julieta Emília, de parva que sou, quando eles começam a falar entre si, eu, demente que também sou, finjo (vejam bem a insanidade!), finjo, queridas pessoas, que falo mandarim! Pessoas, MANDARIM! E toca de olhar para um e outro, enquanto falam, e de acordo com o tom, trucidá-los com os olhos ou anuir! Isto é tão parvo! E eu faço-o! Não lembra ao Diabo pois não? Sim, sim pessoas chinesas falem prái à vossa vontade que eu cá estou-vos a topar! Sou tão “TUGA”, não podia ter nascido noutro país… esta nossa mania de que falamos qualquer língua… daaaaaaaah, nem é preciso dizer que fico sempre na mesma perante o mandarim, pois não? Tão parvinha, valha-me Deus!
E é isto em tantas situações:
Na creche perante o olhar aterrado das educadoras, brado aos céus: “Ah dêem-me outra criança, eu hoje não levo esta, quero uma mais educada e calminha, vá arranjem-me lá outra! Ahahahaha…ahah…ah… criança… ança…ança… ECO!
Na loja, as clientes nunca percebem: “Ah temos fitas e galões para anos e anos! Se desenrolássemos tudo era daqui a Braga, a Braga! Ahahahaha…ahah…ah… Braga… aga…aga… ECO!
Muito engraçadinha, mas igualmente lerda, e agora o reverso da medalha, porque normalmente sou sempre aquela que perante uma anedota, fico sempre para último, quando já todos se riram eu finalmente percebo a piada e começo a rir Ahahahaha…ahah…ah… ah… ECO! Tudo a olhar para mim eu enterradiiiiiiiiiiiiiinha! Desconfio que quem ri logo, está para ali a fingir que percebeu e não percebeu nada… desconfio…onfio…fio…ECO!
Há pior que alguém nos dizer: “Vou-te contar uma anedota… vais-te rir tanto com esta! Ouve isto…”
TERROR, DESESPERO, fico em pânico porque já sei, OH GOD, isto não vai ter piada nenhuma e eu não quero que o meu amigo se fique a ouvir em eco… anedota contada, já com o braço dorido das pancadas aplicadas pelo meu amigo, que na emoção desata a dar-me palmadas e cotoveladas do tipo  "Percebeste? AH AH AH AH Percebeste? Ah AH é demais esta!" E então viro tudo contra mim e saco da Emília Engraçadinha que me habita… ah ah ah ah…ah ah…ah… Opá, não percebi! Ai sou tão N.E.R.D! Com esta safo-me sempre e o meu amigo fica na mó de cima, normalmente a rir feito alarve e a dar-me o golpe final no meio das costas, Ah Ah Ah, perante a minha “burrice anedótica”, não me ri da sua piada (QUE NORMALMENTE NEM TEM PIADINHA NENHUMA!) mas também não o deixo triste e a ouvir-se em ECO! Sou tão boa cristã! Ouviu Menino Jesus? Sapatinho, 24 de Dezembro, presentinhos, tá-se? Boa cristã? Fixe!
E com isto, hoje já é dia 12.12.12 (ÚUUUUUUUuuuuUUUUuUUUUUuU medo! M.E.D.O!) e não tarda nada o Natal está aí!
Joy to the world, pessoas!

11.12.12

Solta a She-Ra que há em ti!

Então que a semana passada foi dedicada a arrumações na arrecadação, em casa, na loja, uma lufa-lufa do pior.

Já sabia que existia em mim um Tarzan Taborda, gostava de ter a mesma convicção perante o exercício físico que tenho perante um roupeiro todo desmontado. Ai que não consigo correr… too much for me… ai isto da ginástica… ai! Roupeiro desmontado? Oh Julieta é demais para ti e… Ah espera lá que já te mostro! Descabelo-me, solto a “Sheee-Raaa” (lembram-se da companheira do He-Man?) que há em mim, e voilá pessoas! A baixinha safa-se em grande estilo! E agora é preciso arrastar estes móveis e vou chamar os homens das mudanças e… “Shee-Raaa”! Ah espera lá que já te mostro! FIZESTE TUDO SOZINHA? YAÁ meus!

É isto! Não sou dada a pieguices perante o trabalho árduo, gosto de fazer tudo sozinha, e faço! E hei-de correr, vão ver! Tudo na vida é uma questão de motivação… Matuto nisto diariamente, já ir calçar os ténis e ala que se faz tarde... pois! Sheee-Raaa!

Estou com as pernas cheias de nódoas negras, oh well, é Inverno e gorduchas como estão também não as ía mostrar por aí! As unhas de verniz de gel todas escamadas… no worry! Como as uso bem rentes e de cor neutra, nem se nota! Sheee-Raaa!

E toda semana que passou foi repleta de emoções! Sheee-Raaa! 

Andamos a aprender a revelar fotografias em laboratório lá no curso. O máximo! Shee-Raaa!

Apanhei uma rica molha no dia de temporal, sobretudo porque tive a brilhantíssima ideia de calçar os all star. Ainda estive vai-não-vai para comprar umas galochas tigress numa loja manhosa na estação de metro do Saldanha por 9,90€ mas acabei por desistir! Ficaria a She-Ra bem de tigress? Hum... 

Tive um momento verdadeiramente radical num táxi no dia do temporal!

11h da noite, apanho um táxi no cais do Sodré. Ao volante um sósia do Chalana (Sport Lisboa e Benfica, 1983?), com mais 35 anos que o original, umas unhas tipo garra, bigode farfalhudo e poucas conversas. VRUM VRUM VRUUUUUUUUUUM! Ui, ui que este tipo é aceleeeeeeeeeera, aceleraaaaaaaaaaaaaaa! Cravo as minhas unhas ao banco, os dedos dos pés em riste bem agarrados aos all star, a pressionar o rabo com toda a força contra o banco do carro (Mercedes?1995? Dizem que são os melhores para a “guerra”)… VRUM VRUM VRUUUUUUUUM! Agarro-me ao telemóvel, a tentar filmar a cena e CHUUUUUUUUUUUUUxxxxxxxxxxxuuuuuuuuuuuUUUUUUUU! INCRÍVEL! O tipo acelera de tal maneira, completamente prego a fundo e apanha a estrada totalmente alagada! EU Não queria acreditar! Nos nervos nem conseguia acertar com o modo vídeo do telemóvel e (COM MUITA PENA) não consegui filmar! Era digno! Oh se era! A água foi bem acima do táxi! Uma cena hollywoodesca! Um Chalana com ideias de Moisés! Nós a atravessarmos um Mar Vermelho revolto! A conquista da zona ribeirinha lisboeta! VRUUUUUM!
CHUUUUUUUUUUUUUxxxxxxxxxxxuuuuuuuuuuuUUUUUUUU! O mercedola lá se aguentou… quem não aguentou fui eu que começo num risinho nervoso… ih pá ihihih… ah ai pá… e desato a rir disfarçando o nervoso… é lá isto assim… OLÉ! Ihihihihih ahahaha! Oh caraças “Chalana” pá!

“Chalana” taxista, com toda a calma: “Isto hoje `teve mau! Digo-lhe eu que andei por aí o dia todo! Mas isto nem é nada, `tá óvir? Noutro dia até comiam sardinhas com água pelos joelhos! Digo-lhe eu, que ando aí! Isto não é nada!

Não foi nada, digo eu! Que já me estava a ver em loopings ribeirinhos e a ir enfiar-me com os dentes no retrovisor do Mercedes! Ou a soltar a "Sheeeeeee-Raaaa" (não consigo pensar neste nome sem me lembrar do  "Shee-Raaa Shee-Raaa" do genérico!) que há em mim e andar mais o Chalana Taxista a empurrar o Mercedes de alguma poça mais funda!

Visto que o Chalana taxista tinha propensão para reencarnar personagens, fomos até à minha porta em modo Alain Prost do asfalto lisboeta! Um mimo! VRUuuuuuuuuuuM!
Boas noites! Brigados! Ufa!

Ufa? Ufa não que ainda tenho que acabar as arrumações na arrecadação! Depois vou colocar aqui uma fotografia do momento da revelação da arrecadação a marido descrente! !Até aleluias se vão ouvir! Depois conto! Sheeeee-Raaa!

Boa semana, caros!


9.12.12

(Des)Arrumar

Apesar de a minha arrecadação ter chegado ao caos e eu ter passados os últimos dias em arrumações, mudanças, limpezas, ter as pernas "num cristo" de tanta nódoa negra, feitas a empurrar móveis, caixas e caixotes para lá e para cá, aquilo que eu mais gosto de fazer é arrumar, limpar, dispôr móveis de um lado para o outro, decorar, decorar, decorar com o que tenho, com o que me dão, com o que compro aqui e ali, com o que encontro na rua e dá um prazer imenso.

Como tenho a arrecadação cheia de "relíquias" volta e meia gosto de mudar as coisas em casa. Ainda não vivo na casa dos meus sonhos, soalho antigo, grandes portadas, pés direitos gigantes, muita luz e se possível a olhar o tejo (ai, ai! suspiro!), por isso tenho que adaptar as minhas (queridas) coisas a uma casa moderna, já pré-definida por um arquitecto, a sala tem que ser na sala, os quartos têm que ser nos quartos, e por aí adiante, com a disposição que alguém achou adequada, não deixando margem para grandes manobras, e se eu gosto de umas boas manobras. Ora uma casa antiga permite usar e usufruir do espaço como bem se entende. Um dia, um dia terei a casa com que tanto sonho.

Até lá vou arrumando. E olhem só o que uma boa arrumação na arrecadação me fez trazer de novo à luz do dia.

 
Bom domingo, queridas pessoas!

4.12.12

Ai será que me vai nascer uma pilinha!?

O que é que 2 mulheres fazem juntas na casa de banho? Porque é que as mulheres vão à casa de banho sempre aos pares? Opáaa sei lá, meus! Eu cá vou sempre sozinha!
- JUlieeeeeeeeeeeeeeee!
- O que foi?
- Quantas vezes terei que te pedir para baixares o tampo da sanita? Custa-te muito?
Opá pessoas, sei lá, é uma força do além, pá! O tampo da sanita? Quero lá saber do tampo da sanita… eu deixo-a limpinha… esqueço-me de o baixar, opá, sei lá…
Pasta de dentes, embalagem da pasta de dentes, sai, ah sai, nem que seja à dentada… carrego no meio, carrego na ponta de cima, carrego na ponta de baixo… amachuco tudo, enfio-a no copo das escovas, ah enfio, ainda que toda torta!
- JUlieeeeeeeeeeeeeeee!
- O que foi?
- Quantas vezes terei que te pedir para fechares as embalagens do shampoo? Custa-te muito?
Meus, isto é assim, o país a travessar uma crise de merda, e eu para aqui raladíssima, termos que dividir o país com o Gaspar, e suas ideias peregrinas, e ainda vou ter que me preocupar com a embalagem do shampoo? Do shock waves, do elvive, do camandro para a caspa? Too much to worry about.
Ao volante:  Fodasssssssssssssse! Passa por cima, ó palerma! Qué queres? Parvalhão!
No supermercado: Não! Não preciso de ajuda, obrigada! 5 sacos em cada mão, em modo levantamento de pesos, mochila às costas, garrafões de água, sacos de areia para os gatos, 5kg cada, eu consigo, não preciso de ajuda, obrigada!
Por estes dias qualquer olhar mais atento para as minhas pernas… pêlos!
Por estes dias qualquer olhar mais atento para o meu lábio superior… buço!
- JUlieeeeeeeeeeeeeeee!
- Hã?
- Anda cá, por favor!
- Jáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa vou!
Este já vou é mega-homem, é mesmo barbudo, repete-se a cada 5 minutos, e não, nunca passa disso mesmo, já vouuuuuuuuuuuuuuu… nunca vêm! Nunca vou! Pelos menos já!
Perdida algures, ao volante, munida de gps, telemóvel com ligação à net, perdida em nenhures e uma pessoa… não, não vou perguntar… eu hei-de encontrar o caminho… A caminho do Algarve, perdida algures na Beira baixa, no sentido Porto, perdida, completamente perdida, não, não vou perguntar, eu consigo! Chegada a Badajoz, começo a dar o braço a torcer… Olhe desculpe…
E mais um dia de chuva! O chapéu? Isso é para meninos!
No entanto sei que não me irá nascer nenhuma pilinha, quando querido marido me diz que não vai entrar em conversas espiral comigo…
ESPIRAL? HÃ? Tu queres lá ver que este  agora está a dizer que as minhas conversas são apenas espirais sem fim! Será que me está a chamar chata? Ora se me está a chamar chata, está-me a chamar gorda, ou está a chamar-me magra, mas como é que ele notou que eu estou mais magra? Se notou, é porque também notou que eu estava gorda e não me disse nada! NADA! Eu práqui badocha e nada! Traidor! Tu achas que eu estou gorda? FOFINHA? QUé isso de fofinha? Fofa? Estás a dizer que o meu cabelo é uma coisa fofa? Hã? Fofos são os poufs… O meu cabelo um pouf? Opá! Olha lá bem… ai! Um pouf? Eu para ti pareço um pouf? Pois só se para te sentares em cima de mim! Pois para isso estou cá eu, a gorda! Ai vais ver o futebol, essa porqueira? que ninguém aguenta? FUI! Mas achas-me muito linda, não achas, querido marido?
CORTA! C.O.R.T.A!
Ufa! Estou safa, mulheres! Ainda há uma chatarrona dentro de mim! Há uma mulher dentro de mim, ufa, com tudo a que tem direito! No pilinhas, only pipis!
Boa semana, gente boa!

3.12.12

Estoy lóca! E pareço uma avestruz!

Pessoas, estou louca. Demorei a assumir, demorei a aceitar, mas de hoje não pode passar.
Pessoas, eu sou uma juntólica!
Juntei, juntei, durante anos, coisas. Sou rica em coisas. Tenho de tudo um pouco.
Sou a (in)feliz dona de uma colecção de canecas, que não quero para nada. Tenho não sei quantos espelhos de moldura dourada, tipo princesa. Tenho 2 poltronas e um sofá, empilhados na arrecadação, cómodas, mesas e mesinhas, tudo empilhado na arrecadação, cadeiras, bancos, anos 40, anos 50, anos sei lá! ARGGGGGGGGGGGG! Tenho malas, tantas malas, malinhas e maletas! Empilhadas, todas EMPILHADAS por mim, no sábado!
Olhando ninguém imagina a mulher de músculos que há em mim, a “Tarzan Taborda” que me habita. Os vizinhos que me vissem no sábado, dentro da arrecadação, apinhada de coisas, COISAS, TAnTAS Coisas! MEU DEUS! Estou demente! Sou uma daquelas pessoas que um dia será desenterrada de uma pilha de lixo e onde uma equipa de televisão acompanhará o processo de limpeza! ARRRRRRRG!
Tenho tanta merdinha, tanta merdinha!
Durante anos visitei todas as lojas de 2ªmão, feiras, trazia sempre alguma coisa… Imaginava-me a fazer cenários e a tirar fotografias… no entanto todo o processo de manter tudo limpo e arrumado é desesperante e eu não tenho tempo e também já não tenho vontade!
ZEN! Qualquer dia viro Zen!
Bem me basta o quarto de pequenas diabas da tasmânia! E toda a casa! É o desespero!
Sonho com o retorno de uma empregada doméstica! Oh crissssssse dos infernos!
Ontem já berrava de saudades da empregada Russa que há uns anos nos roubou cerca de 1.000€, aquela criminosa… A querida empregada que um dia não veio (ainda bem que faltou, senão podia ter sido em minha casa e eu acho que nunca mais recuperaria!) porque tinha falecido… A empregada tão pitosga, tão pitosga, que não via nada, e que queria ter um salário acima do meu, com todas as regalias, coisa que eu nunca tive… A mentirosa, que pregava tantas petas mas que deixava tudo num brinco, tão aldrabona que dava ira…
Aquele covil de bruxa que é a minha arrecadação, prova todas as minhas teorias relativas ao meu cabelo, se não é de nascença e hereditário é adquirido mal abro a porta da arrecadação, tufo em modo eléctrico, PSYCO! PSSSSSSSSSSSSYCO!
Eu a arrumar a arrecadação e nem de propósito toda a vizinhança começa a descer à garagem. Eu de porta aberta, escancarada, todo aquele cenário dantesco, uma pilha de coisas, eu toda cheia de pó, da cor do miserável polar da Decathlon (Há COISINHA mais deprimente, em versão estilo, do que sábado à tarde na arrecadação em desalinho total e um polarzinho da Decathlon vestido? GOD SAVE MY SOUL!) DESATINO! DESAAAAAAAATIIIIIIIIIIIIIINO! TOTAL!
E é incrível, em 5 minutos a passar coisas de um lado para o outro, ficava logo barricada na parte de dentro da arrecadação… porta escancarada e vizinhos a abrandar com o carro à passagem na “zona de guerra”, a espreitarem os amorosos… e eu em salto canguresco, a ficar com as calças presas na corrente de uma das bicicletas a dar com os queixos no monte de sacos de roupa empilhados, o polarzinho da Decathlon em subida vertiginosa tronco acima, as calças de ganga velhas que já não me servem há anos, com uma estúpida tendência para descer pela força da banha abdominal e eu estatelada em cima do monte das CENAS TODAS, TODAS! Que junto há anos e anos e anos! DE polarzinho e calcinhas de cintura descaída justinhas em baixo tipo avestruz… anos a gastar dinheiro em velharias para quÊ? Para quê! Tornei-me eu uma velharia, de polarzinho da Decathlon! Há condições?
Pessoas, tenho horas para pôr aquilo habitável, senão endoideço, passo-me e vai tudo a eito, e depois sei que me arrependo… LÓCURA TOTAL! PSYCOOOOOOOOOOOOO!
Boa semana, caros!