14.12.12

Foi-me ao sabugo, caraças!

Ontem foi dia de unhas.
Arranjar as unhas é uma coisa que me dá conta da paciência, arranjar o cabelo é “so damn boring”, as sobrancelhas o martírio total, a depilação uma seca sem fim, e tudo o que tenha a ver com estar apresentável é para mim absolutamente entediante. Era enfiar uma roupa qualquer e toca a andar!
No entanto defini algumas regras. Depilo todas as partes de maior evidência, alouro pêlos que dão para não tirar, e com isso não parecer o abominável. O buço e as sobrancelhas vão a par na esteticista. E a coisa vai-se levando. Cabeleireiro é que é uma vez por ano e de arrasto, porque odeio tudo o que tenha a ver com cabeleireiros. O que eu gosto mesmo é de um cabelo lisinho, e isso faço em casa com os ferros e poupo euros e pachorra. Depois do que me aconteceu em 2008, caríssimos, o cabeleireiro é um local que me diz ZERO!
Então o truque é, apesar de andar meia matrafona diariamente, há regras. Um olhar mais atento vê-me com umas unhas bem arranjadas, sem buço e umas bonitas (sem falsa modéstia) sobrancelhas. Um dia também conseguirei manter o meu cabelo em condições mas o tempo urge de manhã e à noite não consigo, estou sempre demasiado cansada para ainda ir arranjar o cabelo.
Ontem foi dia de unhas. Verniz de gel. Uso esta solução porque durante 15 dias não preciso de me preocupar com mais nada. Uso-as muito rentes, para que aguentem 15 dias e ao fim não parecer a Cuca do Sítio do Pica-pau Amarelo. Sou a Ovelha Choné do sítio onde vou. Todas as clientes saem de lá ostentando orgulhosamente garras coloridas, brilhantes, “manicures francesas” (coisinha mai`pirosa não há! É a minha opinião pessoas, é a minha opinião!). A minha cor de eleição é a ausência de cor, o mais natural possível, muito clarinho.
Tem resultado porque na loja elogiaram-me: “Ai afinal ainda há gente com unhas lindas e sem aquelas porcarias do Gel e…” Pois, ficou espantada esta senhora! O gel não é só para candidatas a Cuca.
Ontem, a limar-me as unhas: “Rentinhas, não é?” Sim rentinhas, só uso rentinhas. “Veja lá se a estou a magoar”. A magoar não, mas a limar-me o sabugo sim. E limou, e gritei, e limou e gritei e a mulher sempre a pôr a lima de lado e eu a encolher os dedos… Caramba! Chegada a casa e nas tarefas domésticas diárias começo com uma dor num dedo e estou assim até hoje, e sei que só vai passar quando crescer um bocadinho… e ainda há que roa as unhas… como aguentam?
E como raio é que as pessoas com aquelas unhas de Cuca conseguem fazer tarefas tão simples como apanhar moedas, teclar, lavar o rabo? COMO MÉNES? E cabelos impecáveis? COMO? Não dormem? Não trabalham? São milionárias? COMO? Onde arranjam tempo? Eu já nem digo pessoas com filhos… COMO?
A senhora que me arranja as unhas quando calha está com unhas de prái 5cm! ÀS vezes verdes! Hum! Não sei, mas qualquer coisa a ver com tiranossauros a senhora tem! Diz que vai no autocarro e ninguém se mete com ela… Pudera, meus! Um vazamento num olho não é bonito de se ver…
E hoje é dia de depilação, ou isso ou começo a tentar o Guiness, ou entrar em competição com o abominável homem das neves, ou plantar couves nas pernas, com esta crise todos os recursos são válidos!
Que amanhã é dia de festa do colégio e eu tenho que ir apresentável. Imagino sempre nestas festas, CHEIAS DE GENTE, eu ir a andar, tropeçar, fazer uma fractura exposta, vir logo uma multidão e alguém gritar “TIREM-LHE AS CALÇAS! RASGUEM-LHE A PERNA DAS CALÇAS!” E eu ficar para ali com a minha perna peluda e meio colégio olhar horrorizado para a mulher estendida no chão aos gritos “As calças não! AS CALÇAS NÃO!” De facto hoje ainda não tomei a unidose, oh well!
Bom fim-de-semana, gente gira!

Sem comentários:

Enviar um comentário