28.7.14

Dia de neura total num pré-férias vazio de coisas interessantes

Não sei se vos acontece, mas a mim os dias imediatamente antes das férias grandes (a piada...) de Verão trazem-me uma sensação de vazio, de mais um ano que passou e não vai ficar na minha memória como memorável ou até interessante.
O pior de tudo é que a culpa é minha. Sempre.
Este ano faço 38 anos (engulo em seco vinte vezes e sinto um nó tão grande... tão grande...) e sinto que para mim está a acabar.
A atitude é minha. Sempre.
Acho que já não vou mudar. Não tenho coragem. A vida consome-me em merdas tão interessantes como as que têm que ser feitas e pagas ao final do mês. Aquelas que não há volta a dar e têm mesmo que ser garantidas.
E assim passou mais um ano. Eu desperdicei mais um ano. Por pura cobardia e por puro sentido de responsabilidade. Porque tenho quem conte comigo.
Vejo tanta gente a apregoar que mudar é assim com clicks e wake up calls... e eu duvido. De mim. Sobretudo.
O pior é lidar com a frustração. Não fosse essa velhaca e estava tudo bem e empurrava-se com a barriga.
E eu até já tenho uma parte do que tanta gente quer. Sou a minha chefe e faço os meus horários. Ganho aquilo para o qual trabalho. Só o trabalho é que não vem certo. E isso é um problema. Porque este trabalho é o que é. Não é o que eu gosto. É o que ainda me permite ganhar dinheiro e pagar contas. E levar esta vida com a barriga. O pior é a frustração. Essa velhaca.
Ai gente, é o tempo a passar e ver que que o que vai ficando para trás não é sequer digno de nota... 38... dasssssssssse!
Opá isto hoje está do pior... desculpem o desabafo, o expurgo de cenas menos agradáveis...
Sabem? Sentem este vazio? Têm alguma receita de chás de ervas para ganhar coragem? Sabem para onde posso ligar a encomendar sumaúma da alma?
Boa semana, gente!
NOTA: Desculpem o azedume nesta altura que se quer morna e caipiresca... 

3 comentários:

  1. Eu aos 38 anos voltei a ficar grávida, do quarto filho, dez anos depois de ter tido um par de meninas e 12 anos depois de ter sido mãe pela primeira. Para mim foi mágico, a vida ganhou um encanto e uma simplicidade que só o amor nos sabe fazer sentir... Não é bem uma receita de chá... mas que me deu ânimo, coragem e doçura, isso deu!

    ResponderEliminar
  2. Também tenho dias assim (sendo que eu já fiz 40 este ano...).
    Depois penso em tudo aquilo que já conquistei, na família que construímos todos os dias, e nos planos que tenho(temos) para o futuro e aos bocadinhos vou-me sentindo melhor.
    Mas se descobrires o tal chá, partilha! Porque se fosse possível a minha parte profissional também levava uma volta de 180º. :P

    ResponderEliminar
  3. Pois que não sei se isto é coisa dos quase 38 mas são palavras que ressonaram na minha alma qual bombo... E tive que partilhá-las porque coisas assim, bem explicadas, não se encontram em qualquer lado. Espero que não te importes...

    ResponderEliminar