4.1.13

Considerações sobre um electrocardiograma.

Pois que comecei o ano com alguns achaques.
 
Hoje foi dia de electrocardiograma e prova de esforço. A ver se o meu coração ainda palpita como deve ser.

- Bom dia.
- Bom dia, dispa-se por favor da cintura para cima, deixe ficar o soutien e vá ali para aquela passadeira.

Eu que sou uma pessoa precavida e já sei destas coisas vesti um soutien bonito, nada daquelas cenas tipo saco de algodão do dia-a-dia, não, não, um soutien bonito para não fazer má figura.
Subo para a passadeira ainda confiante e … Oh DEUS! Quem é a gorducha que me fita no espelho pregado à frente da passadeira? QUEM, em nome do Senhor, dos deuses, dos duendes da floresta, em nome da PÁTRIA pespega um espelho em frente a uma passadeira numa sala de exames cardiovasculares? Malvados! Um soutien bonito, sem dúvida, mas a gorducha que o carrega… E aquela pança? Aquela massa a saltar das calças? OH Pá! Oh Pá!

MULHERES DESTE PAÍS, vou dizer-vos isto e vocês, pessoas sensatas, vão acatar os meus ensinamentos: Quando forem ao médico, aquelas consultas do tipo “Dispa-se da cintura para cima, deixe ficar o soutien”, as minhas amigas em geral, e em particular, as queridas, que como eu veem o mundo do alto dos seus (quase) 1,60m, não vão usar calças, SOBRETUDO de cintura alta, da alta mesmo, não aquelas mais ou menos, aquelas mesmo altas, aquela invenção maravilhosa que faz de cinta e que por debaixo da roupa não se nota, MAS, ATENTEM BEM NISTO, MAS, que assim à queima-roupa denunciam uma barriga enfiada lá dentro, à força, no meu caso, e não é bonito! Minhas queridas roça o deprimente. DEPRIMENTE.

E eu nunca sou atendida por gordas, nunca me calha uma igual, um par, calham-me sempre magras, mesmo magras, mulheres sardinha! Ai, ai só enlatadas em tomatada! Magras, pfffffff (confirma-se: há uma cabra dentro de mim!).

Adiante.

- A sua tensão mínima apresenta valores elevados. Está nervosa?
- Ah, nada!

Se eu fosse o Pinóquio tinha tropeçado ali mesmo e enfiado toda a dentição frontal na passadeira.
Não, amorosa pessoa, eu não estou nervosa, eu estou é a morrer da cura. “Ai que vais fazer um exame para ver se está tudo bem, e vais subir para a passadeira e caminhar, até vais correr, e vai ser num sitio onde alguém, BRILHANTE, coisa mais rica de sua mãezinha vai ter a, BRILHANTE, ideia de fixar um espelho frente à passadeira das provas de esforço, para que pessoas como tu, adoradoras de queijo e de vinho e de pão, se olhem e nem precisem de médicos e o camandro para perceber que algo vai mal e está a transbordar das calças de cintura A.L.T.A!”

Agora imaginem, o verdadeiro horror seria se fossem de cintura descaída! ALERTA VERMELHO. Mulher encravada no mecanismo da passadeira apos queda aparatosa. ALERTA!

Exame superado, não estou “cardíaca”, ainda me aguento nas cruzes.

- Um bom dia para si e aguarde ali na sala de espera pelo resultado do seu exame. Feliz Ano Novo.

VENHA O DIABO E ESCOLHA! A sala de espera é muito provavelmente o segundo lugar para começar a ter palpitações e uma crise nervosa. Sala de espera essa que não é mais que um terreno fértil de doenças, maleitas, todas as desgraças possíveis de descrever após quase se morrer, sim porque a “fauna e flora” que povoa as salas de espera dos consultórios, enchia manchetes do jornal “O Incrível” nos idos anos 80/90, caso relatassem as suas experiências de quase morte, as suas quedas, as suas dores, as suas desgraças… MEGAFONE NESTA GENTE! Blasfemar em francês também ajuda! Mon Dieu de la France! CALOU! SHIUUUUUUUUUUUUUU! SHIU! MANSAS, pá!

Acho que já estou pronta para outro exame cardiovascular, porque isto já foi emoção a mais!

Boa semana, corações amigos!

(pst pst: já vou na minha 3ª ida ao ginásio! Shiuuuuu, que é para não agoirar esta minha renovada força de vontade!)

1 comentário: