28.4.14

A não-dieta # parte01 (na sequência do post anterior)

Pessoas, pois é aqui que está a grande questão e que me faz escrever um segundo post hoje, isso ou então sou uma grande chata, uma pain in the ass.

Eu não estou de dieta. Atentem. Eu não estou de dieta.

Então estás de quê?

Estou de mudança de hábitos.

Ah... dirão os "que estão cá sempre para ver quando desistes".

Sim, minha gente, mudança de hábitos que é para não entrar na espiral anual.
Todos os anos por esta altura acordava e metia as mãos nos pneus que alegremente me circundavam a zona abdominal e ciente da desgraça tremia e pensava: "Julieta não vai a bem vai a mal miúda!"

E mergulhava num sacrifício de restrições e cenas drásticas que só se aguenta 3 ou 4 semanas, à conta de muita fome.

Eu já fiz a dieta do "diz não aos hidratos de carbono" de todas as formas, a da LEV, a da AGATA, a "inventada por mim", a "do médico da tia da prima da outra amiga que andou comigo na universidade", "aquela que vai mudar tudo em 3 semanas", and so on and son...

Eu já perdi 8 para ganhar 9, eu já perdi 4 para ganhar 6... estão a ver o filme não estão?

Desta vez eu decidi ir pelo caminho mais difícil. E não, não descobri a pólvora.

Alimentação cuidada e exercício físico.

Porque desta vez eu quero que seja para sempre.

Daí o meu desânimo.

Isto custa muito e os resultados não se vêem em 3 semanas.
Por isso é que eu estou desmotivada.

Eu tenho saudades de enfardar massa e arroz à noite? Tenho, sobretudo quando chego com fome e ainda com tudo por fazer.

É difícil cozinhar para as minhas filhas? Claro, porque a elas dou-lhes a massa e o arroz que me apetecia enfardar e sei que não posso.

Eu não tenho nenhuma predilecção por doces, agora pão, massa, arroz, sou menina para comer até inchar e explodir, ganhar espaço e comer ainda mais. Oh se sou!

Quanto aos smoothies, e como já percebi que algumas de vocês acham que ando a sumos verdes há 9 semanas, desenganem-se. Amigas, eu bebo um sumo de frutas e vegetais de manhã, seguido de uma fatia de pão de cereais com fiambre de perú e uma chávena de chá.
Estes sumos têm feito milagres no meu trânsito intestinal e na minha energia matinal, mas não são de todo a minha alimentação ao longo do dia, deusmalivre, pá, ficava com fome e ainda me dava um treco.

Portanto dá-se aqui início a uma rubrica semanal, ou diária, as vezes que me der para escrever sobre isto, até porque não imaginam o expurgo que é vir aqui desabafar cenas.

Pessoas eu não serei a vossa melhor inspiração, acredito sim é que se eu vier aqui tocar na ferida nos vamos inspirar muito uns aos outros e quem sabe se em Agosto não nos estamos a rir destes tempos de "sacrifício e luta"?

Continua... até já!

4 comentários:

  1. Olá! Sou cliente habitual aqui do teu establecimento, mas nunca comentei. Porque estou na mesma luta, percebo-te muito bem. Vou-te contar o meu truque: não olhar para a balança e sim para a fita métrica e lembrar-me que o músculo é mais pesado que a gordura. Força e continua a lutar... e muito obrigada pela dose de ironia que vais passando cá para fora.

    ResponderEliminar
  2. olá sandra eu já me devia ter medido mas optei por tirar fotografias ;) tambem resulta! obrigada pelas visitas ;)

    ResponderEliminar
  3. Olá Julieta, que posso eu dizer para ajudar.... Ontem fui à nutricionista, cerca de mês e meio depois da 1º consulta e de 2 meses de ginásio. Perdi 2,2 kg e mais importante para a saúde 3% de massa gorda. O volume da querida pança está igual segundo as medições mas eu sinto um pouquinho menor. Eu também não considero que estou a fazer dieta mas sim a tentar mudar de hábitos que como tu dizes é o caminho mais longo. Eu não concordo com tudo o que a nutricionista recomenda mas ajuda estar a ser seguida por alguém e não só pela estúpida da balança (nem tenho em casa). Ela diz que posso comer meio pão ao lanche para não chegar tão esganada ao jantar. Animo e desculpa o testamento.

    ResponderEliminar
  4. Beijos Cat vamos lá chegar, vamos é a direito e não por atalhos :D

    ResponderEliminar