9.6.14

A vida vista por um cabide e o regresso do Afonso.

Eu já sei de que lado da barricada me encontro desde o dia em que o teste deu positivo e soubemos que daí a 9 meses o nosso estatuto mudaria para sempre.

A nossa relação com o sofá também nunca mais foi a mesma.

Nada de novo. Já todos sabemos no que isto dá depois de uma noite de amor caliente, passarinhos e vinho tinto (do bom!).

Tudo bem.

O mundo gira nesse sentido.

Até ao dia em que me sentei no sofá da escola e aguardei junto com o Gil que nos chamassem para irmos entreter pequenas crianças numa manhã de partilha e família.

E então eu soube.

E então eu vi a vida por um cabide e coloquei-me para sempre do meu lado da barricada.

E então eu vi uma mãe a chegar com a sua criança e o bibe da sua criança.

E eu vi a minha vida toda por um cabide. Uma filha. Um colégio. Uma empregada. Uma hipoteca. Duas filhas. Dois colégios (entendam duas facturas do colégio!) Adeus empregada, até um dia… adeus minha linda… eras uma mentirosa, mas até limpavas a casa… adeus bye bye…

Não foi só a minha relação com o sofá que mudou desde o dia em que fiz aquele xixi e ainda sentada na sanita partilhei com o Gil a felicidade de irmos ser pais. 
(Nota: sentada na sanita porque com os nervos fiz mais que um xixi…)

Foi toda a minha relação com a vassoura, o aspirador, o crystal klean para os vidros, o stoplarexbrilhex  para a gordura, o brilháqui para o pó, o smelllikerainbows para o ferro de engomar e o camandrex fodex de minha videx enquanto doméstica… enquanto mãe, profissional e dona de casa sem empregadex…

Aquela mãe chegou com o Bibe num cabide… passadinho a ferro… engomadíssimo… esticadinho… assim sem uma ruga… 

E eu olhei para o Gil e o Gil olhou para mim, e vimos a nossa videx deste lado da barricadex… suspirámos e ali ficámos sentados à espera que nos chamassem.

Depois chegou um pai. Com o seu filho pela mão. Um bibe… e … UM CABIDE!

E então eu olhei para o Gil, o Gil olhou para mim e vimos a nossa vida por um cabide.

Pessoas… aqui deste lado lavam-se os bibes… dão-se-lhes três sacudidelas bem dadas… penduram-se de facto num cabide… vistas as coisas também temos momento cabide… para que sequem rápido… e de manhã serem só agarrados por uma ponta e soltarem-se à bruta do cabide… CABIDE ESSE QUE NÃO, NÃO VAI CONNOSCO NO CARRO… fica apenas ali a baloiçar na corda… ZUC ZUC ZUC… 

Na pressa amarfanha-se o bibe debaixo do braço, junto com a mochila da escola, a lancheira, o saco dos lençóis, 2 mochilas de ballet, 2 casacos, mala da mãe, carteira do pai, chaves de casa, chaves do carro, 2 crianças, botões do elevador, maçanetas de portas (PORQUE ESTAMOS NA PRIMAVERA!) e com sorte chega à porta da escola sem ter sido pisado ou ter feito todo o caminho com alguns quilos em cima.

Chegados à escola mais três boas sacudidelas e voilá pequenas petizes de bibe vestidas!

Depois… bem depois o mundo, o universo, coloca-nos perante o pai do cabide e nós sabemos que devíamos ter bebido outra garrafa de vinho naquele dia dos passarinhos e do amor caliente porque nunca mais nada vai ser o que foi!

Nem mesmo a visão de um inocente cabide… 

Afoooooooooooonso! Bora,  temos que ir ao blog! Não vais acreditar nesta cena… há de facto pais e mães que levam o bibe no cabide… Afooooooooooonso!

E assim regressámos.

Que bom ver-vos gente, boa semana!

8 comentários:

  1. isso foi uma lucinação!!! ninguém leva o bibe dos filhos num cabide para a escola (eu levo-o sempre pendurado - amarfanhado - na minha mala assim meio fora meio dentro, só em dias de chuva é que não, desde o dia em que ele chegou à escola encharcado... shame on me!)!!!

    anyway... abençoado cabide porque te trouxe de volta à escrita blogosférica!!!

    ResponderEliminar
  2. Acho que o bibe das minhas três miúdas nunca chegavam sequer a vir para casa, a não ser nas férias... ficavam pendurados, amarfanhados e solitários no CABIDE da escola! Haja pachorra... há malta mesmo chata, se pudessem até os filhos passavam a ferro ( e muitos até passam...)
    E faço minhas as palavras da macaca grava-por-cima: abençoado cabide porque te trouxe de volta à escrita blogosférica!!!

    ResponderEliminar
  3. Portantos, bibes imaculados pendurados em cabides para vestir a CRIANÇAS???
    Faz imenso sentido, crianças não se sujam nem se amarrotam nem se arrojam nem nada disso...
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  4. ahahahaha! Eu pensei que o bibe é de terylene PRECISAMENTE para não se passar!!!!
    E o melhor cabide é a própria da filha, que já o leva posto por causa das tosses...

    ResponderEliminar
  5. Concordo com a Carla, o melhor cabide é mesmo a criança!

    ResponderEliminar