9.1.13

Mulher Irada II ou toma lá uma colher de mel que é para ver se te passa!

Depois de nos termos cruzado com a Mulher Irada I, no Algarve em pleno Agosto, eis que Janeiro me brinda com a Mulher Irada II!

Pessoas, estou eu sossegadamente na loja a atender umas senhoras, quando uma senhora com um aspecto normal (atenção que a nossa loja está muito perto do Hospital Júlio de Matos e só isso já é suficiente para fazer este tipo de reparo!), com idade para estar sossegada e não chatear quem trabalha, decide entrar só para fazer uma perguntinha.

- Aquele quadradinho com um bordado que está na montra é feito por vocês?
- Sim. É um Lenço dos Namorados.
- ENTÃO E QUEM OS FAZ NÃO SABE ESCREVER?
- A senhora não conhece os lenços dos namorados?

Mulher Irada II guinchando de frente para a montra:

- Eu não tenho que conhecer nadaaaaaaaaa! AQUILO ESTA TUDO mAL ESCRITO! “CURAÇÃO”? Coração com U? Isso é errado, está tudo mal! Deviam ter era vergonha!

Eu, imbuída de alguma paciência, ainda tentei explicar a razão dos erros, a graça dos erros, a história por detrás dos erros, e tudo o que obtive foi um lançamento de gafanhotos, digno de campeã, para a montra.

- Isto é uma vergonha muito GRANDE! E as crianças? Que rico exemplo! Está bonito, está! Oh se está!

Enquanto esta bruxa destilava veneno, esta velha dos infernos me consumia a paciência, eu pensava: “Ouve velha eu estou capaz de te mandar à grande merda, à real porra, à digníssima bardamerda! Ouve velha! Eu estou capaz de te dar um encontrão para ver se vais destilar ácido para o buraco de onde saíste hoje de manhã!”

Contive-me, teve que ser, tinha outras senhoras na loja e aquela abécula dos infernos não me ia fazer perder o tino!

- E as crianças? A Vergoooooooooooooonha!

Juro que estive a olhar alguns segundos e a tentar perceber se esta era do grupo da consulta de comportamento do Júlio de Matos ou se era apenas uma bruxa ranhosa.

- A senhora vá por favor tomar alguma coisa para a simpatia porque está, de facto, a fazer-lhe muita falta! Um Bom Dia!

Foi o que me saiu. Entrei na loja incrédula com tamanha estupidez.

Mas de onde raios saem estas pessoas revoltadas? O que é que lhes corre nas veias em lugar do sangue?

Esta velha rezingona, bruxa disfarçada de avozinha foi rua fora a praguejar por causa de um inocente lenço dos namorados…
Eu aguento? Para o que eu estava guardada, sinceramente! Ter uma porta aberta é de loucos! Só não endoideço de vez porque, convenhamos, que isto até me anima os dias!

Um bom dia também para vocês, pessoas sorridentes e de bem com a vida!

8 comentários:

  1. Curação? Escrito com "U", mas isso é mesmo uma vergonha!
    Uma vergonha que houvesse uma altura em que o ensino não fosse acessivel a todas as pessoas desde os tenros 6 anos e que mulheres corajosas e lutadoras tivessem de se "desenvencilhar" para aguentar as saudades que a distância acarreta e que através de um pequeno lenço pudessem transmitir tanto carinho.
    Uma vergonha que a nossa história não seja passada, relembrada, para aprendermos com os erros e não cairmos nos mesmos. E para pessoas que passam desocupadas na rua se possam orgulhar das batalhas que se conseguiram ganhar, mesmo que haja guerras ainda a decorrer.

    Saiu-me um bocado mais sentido do que eu pretendia, mas adoro os lenços dos namorados, adoro os nossos regionalismos e admiro tanto as nossas mulheres do povo, trabalhadoras, despachadas e ainda por cima talentosas. Se mais instrução tivessem tido quem sabe onde poderiam ter chegado.
    A nós seus descendentes, cabe-nos manter-lhes o espirito e aproveitar as oportunidades que elas não tiveram.

    Novamente, saiu demasiado sentido...

    ResponderEliminar
  2. Raios partam as velhas!! Burras dum raio! Uma vez no metro de Lisboa vi um velho com dificuldades em passar as portas, porque estava ele a por o bilhete no sitio errado...e eu tão boazinha que sou, que disse: Desculpe mas o senhor está a por o bilhete no sitio errado... Então não é que o sacana do velho ainda me diz: NÃO ESTOU NADA! NÃO ESTOU NADA!! AQUI TAMBÉM DÁ!! grrrrrrrrrrrrrrrrrrr que raiva tão grande!!!! Devia mesmo ter manda-lo à merda com todas as letras!! Odeio de morte gente mal disposta!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahahah! Muito bom. Já me aconteceu com um cego. Ia ajudá-lo, em pleno Marquês de Pombal, mas o homem ficou ofendido e deu-me um safanão. Só me apeteceu dizer-lhe, olhe, mate-se à vontade! ahahah

      Eliminar
  3. pronto, já me fizeram rir que nem uma louca a olhar para o monitor com o boss mesmo de lado!!!! mas foi bom!

    ResponderEliminar
  4. A mim, aconteceu-me um velho passar-me à frente e à descarada na fila do supermercado, que eu pensava estar coma outra senhora velha que estava à sua frente e dado o há-vontade com que me fintou. Quando me apercebi fiquei furiosa e reclamei, o estupor ainda me mandou ir dar educação à minha filha que estava a fazer uma birra (as crianças também têm sentido (contrário) de oportunidade!!!) E de tão furiosa que estava quando passei por ele no estacionamento disse-lhe que da próxima vez que estivesse numa fila lhe haviam de passar cinquenta pessoas à frente... e comesta estupidês que ainda hoje me rói as pessoas que não presenciaram o episódio no interior da loja ficaram a pensar que eu era doida... :)

    ResponderEliminar
  5. Ontem passei na loja...Adoro ver a montra enquanto as miudas estão na ginástica no CCA. Na montra do lado direito estão dois manequins ( as metades de cima ) e um deles tem o lenço dos namorados...
    Casal de sessentões a comentar:
    -Não percebo como é que ainda se vendem máquinas de escrever quando há computadores( by the way linda a máquina) ?
    - Está tudo um bocado velho mas não são antiguidades responde Madame.
    - Repara no babete, está cheio de erros disse ele
    Aí fugi para não gargalhar ao lado deles...

    Beijinhos
    Rita


    ResponderEliminar
  6. olá Julieta,

    por vezes os pensamentos que nos ocorrem nestas situações são dignos de ser escritos e partilhados, já me fartei de rir!

    haja boa disposição :)

    ResponderEliminar