18.2.13

Carta aberta ao Gaspar.

Gaspar,
Tenho que te agradecer esta coisa das facturas. Tornaste-me uma pessoa diferente. Fizeste de mim a verdadeira empregada de balcão. Quando deixar as Sirgarias e Passamanarias, qualquer balcão de pastelaria será dominado na perfeição por mim. O Tinhoso ali da pastelaria de baixo que se cuide, que eu estou na corrida para a categoria de “empregada de balcão mais engraçadinha do bairro”.
Dou por mim a agarrar no livro das facturas e, perante a impaciência dos clientes com a minha aparente lentidão e desvairados contigo, Gaspar, que os obrigas a pedir este frete em cada loja que vão, soltam-se-me da boca, voluntariamente palavras sábias e graçolas tão engraçadas como: “Ah, ah, qualquer dia serei mais rápida que uma registadora!”
Ninguém se ri, Gaspar. Na maioria das vezes fazem-me repetir a graça, e a coisa já me sai arrastada, e isso é triste Gaspar, ter que repetir piadas quando a audiência já de si é sisuda. Sabes como é, não sabes Gaspar? Sisudos, são-te familiares, não são Gaspar?
Sabes que isto aqui às vezes é pró parado, portanto é muito divertido ver a “reacção à factura!”. Temos de vários tipos:
Os atinadinhos, que são apenas pequenitos Gaspares: “Eu quero a minha factura, se fizer o favor!”
Os revoltados, que, de bom grado, te farão um levantamento de todos os buracos por onde te enfiar a factura:”Eu quero é que o Gaspar meta a factura… está a perceber, menina?”
Os engraçados como eu, que levam tudo na boa: “Ai, a factura, ah, ah, ah, dê cá, dê cá não vá aparecer por aí o fiscal, ah, ah, ou alguém vê e faz queixinhas, ui, ui! Medo! Ah, ah!”
Os que sabem como isto vai acabar, de certeza, certezinha: “O que eles estão a arranjar com isto é que as pessoas vão ser ainda mais ardilosas e vão arranjar maneira de contornar tudo, ai vão, ai vão, EU estou a avisar, não venham depois dizer que EU não avisei! EU cá estarei para ver!Ó, ó, ó!”
Os surdos-mudos-tontos-pitosgas-mãos-largas-pardais-ao-ninho:” Hã? Quê? Ó menina, guarde para si, guarde para si!”
É isto, Gaspar. Obrigada. Animas-me os dias cinzentos de Inverno. Quem diria que uma factura podia fazer tanta diferença. Cada cliente é uma surpresa. Obrigada. É tanta a alegria e inspirada por outros cidadãos, aqui vão umas palavras cantadas para ti. Tu já viste isto, vais-nos tornar um país de cantores! Tu e o Passos! 1, 2 e 3, cá vai disto pessoal:
Eu vou comer, comer, comer
Tremoooçooooooos e coratooooooooos!
E eu vou pedir, pedir, pedir a facturaaaaaaaaa!
Eu vou cortar, cortar, cortar, o cabelo na Doona Isauraaaaa!
E eu vou pedir, pedir, pedir a facturaaaaaaaa!
Eu vou comprar, comprar, comprar, 3 alfinetes, 1 rabanete, 1 sardinha, 1 carapauuuu e 2 limõeeeeeees!
E um pau pra te dar nos… õeeees!
Todos juntos!
Õõ õooooes! Ões! Ões, ões, õeeeeeeeeees!
Laráráraiiiiiiiiiiiiiiii! Larái larái laaaaaaaaaaaaaaráaaaaaaaaai!
É isto, Gaspar!
E é isto gente, a cantar é que o povo se entende!
Todos juntos! Essas mãos no ar!
Õõ õooooes! Ões! Ões, ões, õeeeeeeeeees!
Laráráraiiiiiiiiiiiiiiii! Larái larái laaaaaaaaaaaaaaráaaaaaaaaai!

4 comentários:

  1. Já me dói a barriga de tanto rir, ora se posso rir é preferível porque realmente o Gaspar mete dó, ele e os amigunhos ( também dava uma músiquinha)não merecem as nossas lágrimas.... có có para eles

    ResponderEliminar
  2. És demais! Podias compilar os teus post's todos num livro, dava um belo livro de comédia! Davas um a boa "stand up comedy" :)
    Pelo comentário anterior lembrei-me "Dos amigos de Gaspar", uma série animada horrorosa que dava nos anos 80, tão má quanto o nosso atual governo!!!!

    ResponderEliminar
  3. Eu lembro-me bem dos Amigos de Gaspar, do guarda Serôdio :)Uma belíssima analogia!

    ResponderEliminar