23.1.14

Hoje estou que não me aguento * Parte 3.472 e meio

Acordei cheia de dores de garganta, dormi mal, estou com o pingo (QUE É A PIOR COISA QUE HÁ DEPOIS DE UMA VALENTE DOR DE BARRIGA), estou com um humor de fugir e com o mau feitio nos píncaros.

Mal me vi ao espelho pirei-me logo. A minha cara amarela com o cabelo no desalinho total e as bochechas descaídas estão qualquer coisa de fugir!

A parte em que estou gorda, ok já sei, já sabemos, e hoje eu até tinha tempo para ir ao ginásio... só que respirar já está a ser difícil, quanto mais ir arfar para a passadeira. BOLAS PÁ!

Hoje tinha tempo para preparar uma selfie à maneira, mas com esta caronha, e de boca meio aberta, toda entupida, não me parece!

Estava tão tristonha há bocado, mas agora animei-me e inventei uma forma de me animar no futuro.

Ânimo em forma de frase de auto ajuda. Não é novidade. Portanto para dias difíceis uma frase animadora, da nossa própria autoria que assim bate forte cá dentro (GOD estarei possuída por um espírito parvo? isto não era a outra que dizia? a outra que eu nunca vi lá dentro mas que o mundo me espetou na cara e é impossível eu não saber quem é? Vai de reto, vai de reto, xispa, aparição!).

Então cá vai o pensamento do dia para esta semana:

"Eu não sou gorda. Sou uma relíquia renascentista."

Com os dias contados, que a seguir ao Renascimento, na versão o meu "Eu Gordo", vem o Iluminismo, num muito próprio "Eu consciente" e daí é um pequeno passo para o Humanismo, e um sonoro "Eu gosto de mim"!

Portanto já me animei, espero ficar melhor da ranhosice e da garganta inflamada, inspirar fundo e ir à luta. Vai meter patins e corridas. M.E.D.O! Que ainda me dói o rabo do estatelanço na cozinha!

Vejo tudo a comer cenas saudáveis que nem sei o que é, tipo proteína whey e bagas goji, rabos gordos a virarem bumbuns de calçadão, que começo a querer o mesmo.

Depois penso em queijo e afins, copos de vinho tinto dos deuses e óooooooooOOOOOOOOó... temos pena, miúda!

Mas depois também vislumbroo aqueles primeiros dias de sol, quentes, em que tenho que tirar a camisola, naqueles dias em que ainda estou amarela do inverno, e por mais que me encolha continuo gorda... sabem? E todos à nossa volta tiram as camisolas triunfantes, com cara de bróculos e xarope de acer com um escrito na testa em letras garrafais "Eu sou Corrido-Saudável-de-Cu-Teso"? Pois...

Pois eu que até estudei Recuperação Urbana, posso agora aplicar conhecimentos transpondo-os e reconstruir-me, passando de Relíquia Renascentista para Relíquia Futuro-Corrido-Patinadora-de-Cu-Teso.

Portanto esta texugo-ranhosa já se animou e deseja-vos um óptimo dia, pessoas!

Obrigada por me aturarem, não imaginam o bem que me fazem!

1 comentário: