24.1.14

Um post ao contrário.

Tenho andado a guardar algumas histórias de clientes que passam aqui pela loja.

A cliente avestruz. A dar a dar à cabeça, para a frente e para trás, esquerda direita.

O cliente esbugalhado. Entra, esbugalha os olhos, dá meia volta, esbugalha uma vez mais e sai. Mudo e quedo, com os olhos em órbita.

A cliente pézinhos de lã. Entra, ninguém dá por ela e de repente Buuu aparece-me ao lado. Apanho cada susto.

A cliente deprimida. Vocês não têm o que eu quero. Já vi tudo. Nunca encontro nada. Corro tudo e tudo, e nada. Não há nada para mim. Assim como entra, sai. Nunca fico a saber o que procurava.

A cliente indignada. Vocês só vendem estas coisas velhas?

A cliente indecisa. Normalmente faz-me companhia, ou antes frita-me os miolos, durante cerca de 2 horas e meia, enquanto decide entre dois tons muito semelhantes de qualquer coisa e no final não se decide por nenhum e fica de cá voltar. E volta. O problema é que volta. Para mais uma sessão "vou-te fritar os miolos".

E tantos, tantos outros.

Contudo, hoje este post é ao contrário.

Hoje se eu tivesse sido atendida por mim, vinha logo aqui debitar teorias acerca da senhora da loja com tiques de morcega ou bruxa das cavernas. Na pior das hipóteses poderei ter sido considerada gótica. Gótica!? Eu...fónix. Não mesmo!

Entrou um rapaz, educado, simpático. Na hora de ir embora, pergunta-me se sei onde se vende velas em Alvalade.

Eu, a olhar para ele, só pensava "Loreto, Loreto".

- Aqui em Alvalade só na Funerária.

Ele a olhar para mim com o maior sorriso amarelo já visto. Errrr...

- Mas não se horrorize há lá coisas muito giras.

Ele a olhar para mim com o maior sorriso amarelo já visto. Errrr...

- Pois... ah... eh...errr...

Julieta Emília tu deves ser tarada, doida varrida, mas porque raio te foste lembrar da funerária, nem nunca lá foste, só passas à porta e benzes-te logo, cruz, credo, lagarto, lagarto, lagarto, ó deus, ó deus, xispa, belzebu!

- Também pode ir à Viva, lá também têm muita escolha...

O rapaz saiu, e eu fiquei para ali a pensar: Mas que raio pá! Deves ser parva!

Ainda me ri com a Cláudia, e agora estou a achar-me a maior idiota. Porque é que eu não fico calada? A funerária?... benza-me deus!

Agora eu é que devia virar avestruz e enfiar esta mona num buraco grande, esbugalhar os olhos, e garantir que não engulo nenhuma minhoca quando abrir a boca a mais da conta!

"... têm lá coisas giras..." DÁ PARA ACREDITAR?

Mas também com tanto maxilase e ben-u-ron ontem, o dia de hoje prometia...

A ver se não aparece aí a Cliente-LuxoAfricano-Sulista-Falida-Doida Varrida, que quer à força vender aqui as suas malas de cobra de alto luxo, a dizer que isto é uma loja de ciganas, e que as coisas dela são demasiado boas para esta espelunca. Que isto hoje promete! Ó se promete!

Bom fim-de-semana, pessoas!

2 comentários:

  1. És um poço de contradições Julie! Depois da funerária mandaszio para a Viva...

    ResponderEliminar