17.10.14

A arte de colocar gente no sitio certo.

Eu nem estava a perceber muito bem que aquele ía ser um momento memorável. O meu momento Gato Fedorento. Assim. Do nada.
Perdida que estava lá para os lados da Damaia, essa bela urbe às portas de Lisboa.

O meu Gps, que é o meu terceiro Gps, e que apesar dos anos e da evolução das tecnologias continua tão xoné como o meu primeiro Gps, e a única coisa que tem de muito divertido e que me garante risadas diárias é o facto de ser em Inglês. Pessoas, garanto-vos que Marquês de Pombal dito pela senhora inglesa liliputiana que lá vive dentro é hilariante.

Então que estava eu perdida algures na Damaia, a uma hora em que passavam poucas pessoas.

Numa passadeira avisto um tipo grandalhão. À minha frente um carro quase o atropela. Eu paro junto dele e meto a cabeça de fora. 

O tipo grandalhão grita impropérios e manda o incauto condutor à grande merda e para outros sitios que nem eu me atrevo a repetir.
O tipo grandalhão não tem dentes e cospe-se todo, tal é a fúria.
Normalmente eu passaria depois de o deixar passar a ele, para que não se enervasse ainda mais e não me grunhisse cenas do demo directamente da sua boca desdentada e negra como carvão.

Mas não. Achei naquele momento que este era um tipo que sabe coisas. Ruas e tal. Um tipo que sabe coisas é coisa rara no nosso país.

A fúria passou-lhe rápido e com um grande sorriso cheio de correntes de ar explicou-me o caminho. Todo muito explicadinho! Um fixe!

Então que fui. Atrasada, em modo nervos à flor da pele, acelerando o possível, baralhada de todo com as explicações dadas pelo tipo que sabe coisas.

É então que atrás de mim se cola um outro carro. 

- Ó raio! Passa por cima! Fónix, só me faltava agora este! 

Sabem quando procuramos uma rua e vamos devagar para não passar nenhuma saída e de repente temos um apressado atrás de nós? Pois!

- Passa por cima, meu! Fónix, só não me sai o euromilhões! Caraças para este gajo…

Atrás de mim esbracejando e fazendo sinais de luzes, lá estava, o meu troll do dia, indicando-me o caminho com aceleradelas e guinchos de tubo de escape!

- Alguém acredita na minha sorte?

Ali estava o meu momento Gato Fedorento, o meu momento siga, siga, siga!
Fiz 3 ruas e um beco com o Mr Sorrisos atrás de mim, esbracejando freneticamente, colado ao meu carro, gritando para os outros carros sem deixar ninguém meter, para garantir que me levava até ao meu destino.
E eu ao volante a gritar cenas do tipo: E agora, meu? Ah o.k.! Tá-se bacano! És um granda fixe! 

Ri até às lágrimas.

Cheguei ao meu destino. À minha espera uma Senhora com ar de Bibliotecária Prega Bíblias. Perscrutando-me com um olhar 33. E eu atrasada! Cerca de 5 minutos, mas para esta senhora mais parecia que o mundo acabava e ela ali à minha espera! Há tipos que sabem coisas e há senhoras que educam o mundo. 

O meu amigo voltou a brindar-me com um mega sorriso cavernoso e muito amistoso e eu ali fiquei numa rua da Damaia a dizer-lhe adeus, obrigada, és um fixe, meu! Pois eu não estava a ver bem o caminho, não! Tens razão! Obrigada por me perseguires! Adeus! Adeus!

Fossem todos assim, colocadores de pessoas nos sítios certos, sobretudo à frente de senhoras educadoras. Imaginam o que o nosso país poderia ser? Imaginam como tudo funcionaria? 

Pois era, o Crato poderia ir à sua vida, em recta, sempre em frente, seguia, seguia, seguia, assim mesmo sem olhar para trás, seguia, seguia, seguia e deixava o cargo para quem sabe. Para um tipo que saiba coisas, que lhe diga umas coisas, que o coloque a ele a milhas daqui. Seguia, seguia, seguia! 

Ah isso é que era… infelizmente ainda não se ouviu o sinal de partida… é pena!

Bom fim de semana, minha gente!


3 comentários:

  1. Espectacular! É que consegui visualizar a cena como se de um filme se tratasse! :))

    ResponderEliminar
  2. A rir é tudo mais fácil e leve, não acham? Bom fim de semana ;)

    ResponderEliminar