22.10.14

Li agora mesmo num blog a frase: “Ooooh Rennée!”.

E não, eu não digo o mesmo.

Não sei se a Rennée fez plásticas, se a Rennée envelheceu, se a Rennée enfiou a cara sabe-se lá onde.

Aliás, eu nem tenho por hábito comentar estas cenas. Tenho muita falta de pachorra para estas merdas se querem vos diga.

Ainda assim a Rennée chamou-me a atenção e fez-me pensar.

Imagino uma Rennée, como tantas Rennées por aí fora, desanimada com  a idade, com a imagem, com o camandro, os camandros da vida dela.
Imagino uma Rennée que decide alguma coisa para si. Imagino uma Rennée que decide seja o que for. Plásticas, não plásticas. Ser velha, aceitar velhices. Seja.

Imagino uma Rennée que após as suas decisões sai à rua. 
Imagino uma Rennée que decide por si. 

Imagino uma Rennée que se aceita assim.

Após tudo e seja lá o que for. O que tenha sido.

E se deixa fotografar.

Acreditando em si e nas suas decisões.

E depois vejo o mundo.

“Ooooh Rennée”!

E só me apetece mandá-los todos à grande e gloriosa merda.
Bardamerda, ó mundo!

E? E, pessoas?
O que é que vocês têm a ver com isso?
Que imagem idealizaram de uma pessoa, endeusando-a? Que ideia tinha o mundo de como devia ser e que assim é que estava bem? E? E agora, que não vos satisfaz, vá pedras, vá comentários sarcásticos, vá apocalipses opinativos.

Se fossem todos à grande porra mais os comentários fraquinhos de como acham que os outros se devem ou não comportar, de como acham que os outros se devem "plastificar" à vossa imagem, ao vosso ideal… parêntesis, pessoas, parêntesis, que é para ficarem  a pensar…

Há uma semana todos defendiam as “banhas” da outra miúda, que por sinal está até muito bem! Ai coitada, está tudo parvo, a miúda está óptima, e a culpa é do fotógrafo pelos maus ângulos ou a culpa é de quem decide o que publicar… a sério?

Vão-se catar, vão-se ver ao espelho, preocupem-se com a vossa vida, com a vossa imagem, deixem os outros.

Sacrificações? Hoje? Amanhã?
É estúpido!

Quem são vocês? Quem sou eu?

Pessoas, vamos tentar ser um bocadinho menos reflexo dos nossos medos?

Vamos todos ficar velhos, assim a vida nos permita, vamos todos tentar melhorar, vamos todos errar, vamos todos arriscar, e vamos estar aqui. Todos os dias. Uns com os outros. Então para quê fazer disso uma grande merda?

Parêntesis… que é para ficarmos todos a pensar.

E sabem? Eu fiz uma franja. Outros fizeram outras coisas que mexem com a sua imagem, com o seu ideal. A minha franja já não está tão gira como no primeiro dia. Mas eu gosto dela. Sinto-me bem. Diferente. Mais nova ou mais velha isso já é problema meu. Aprendam a aceitar, eu estou  a fazer por isso. Todos os dias.

Boa semana, pessoas!

2 comentários:

  1. Fantastico , excelente, arrasador,.,.tanto que isto faz sentido,,a mim faz e muito..pena nao fazer para essas pessoinhas com que privamos ou vamos esbarrando na vida..

    Esta tudo dito. Esta tudo aqui..!!!

    ResponderEliminar
  2. Porque gosto de te ler, nomeei-te para um Liebster Award. Se tal como eu não fazes ideia do que se trata, lê aqui: http://alimonadadavida.blogspot.pt/2014/10/e-limonada-recebeu-um-liebster-award.html

    ResponderEliminar